A braços com a justiça, Henrique Muacho renuncia à candidatura

Concelhia de Odivelas do PSD confirma que já recebeu carta do candidato. Seabra garante que foi surpreendido com a notícia de que Muacho era candidato e arguido.

Fernando Seara afirmou-se surpreendido com a notícia de que escolheu Henrique Muacho
Foto
Fernando Seara afirmou-se surpreendido com a notícia de que escolheu Henrique Muacho bsc bruno simoes castanheira - colaborador

Henrique Muacho, o candidato social-democrata à Junta de Freguesia de Póvoa de Santo Adrião e Olival de Basto, Odivelas, renunciou à candidatura, confirmou o PÚBLICO. O presidente da concelhia de Odivelas do PSD, Marco Pina, já recebeu, aliás, a carta do candidato a manifestar esse desejo. Depois de a imprensa ter noticiado que estava a braços com a Justiça por negócios pouco claros, o empresário considerou que não tinha condições para continuar na corrida autárquica, por entender que o assunto iria contaminar o debate político.

O empresário faz questão de ressalvar que a decisão não tem a ver com o processo que corre na justiça, em relação ao qual se sente tranquilo. "Mas se continuasse iam usar isto para fazer uma campanha suja e não para debater ideias. Não tenho condições para manter um debate elevado", disse ao PÚBLICO.

Na carta que enviou a Marco Pina, Henrique Muacho mostra-se confiante em relação ao desfecho do seu processo na justiça: “O processo referido encontra-se a aguardar decisão e já foram produzidas as alegações finais pelo que o processo aguarda leitura do acórdão, o qual, estou absolutamente convencido, será absolutório pois resultou da prova produzida em julgamento que nenhum dos arguidos me conhecia, assim como era do meu total desconhecimento os factos que me eram imputados.” O empresário sublinha, na missiva, que não precisa da política e que é “gestor de uma grande empresa”.

“Aceitei o convite de V. Exa. com o sentido de missão e com o objectivo de contribuir com a minha experiência e o meu saber ao serviço da terra onde nasci e cresci. Mais, fi-lo na profunda convicção de que o desfecho do processo judicial em questão, que está para breve, provará a minha total e completa inocência. Estou de consciência absolutamente tranquila!”, garante.

Apesar disso, admite não ter condições para continuar: “Já percebi que a minha continuidade nesta candidatura irá inequivocamente contaminar o debate político com questões em tudo irrelevantes para a qualidade de vida das pessoas, e assim prejudicar o saudável confronto de projectos e de ideias, que é o que deve prevalecer sempre na política e na campanha eleitoral”, escreve, acrescentando não dispor “das condições políticas necessárias para manter o debate político elevado e circunscrito ao que deve ser: as ideias e o cabal esclarecimento das pessoas para uma escolha consciente”.

No final, deixa uma palavra a Fernando Seara: “Estou convencido que a melhor escolha para Odivelas é o Prof. Fernando Seara, por quem tenho muita estima e consideração, e não poderá existir qualquer ruído à volta da sua mensagem que acredito ser a melhor para o concelho e para a qualidade de vida dos meus concidadãos.”

Seara não comenta

Na terça-feira, Fernando Seara, que concorre à Câmara Municipal de Odivelas pelo PSD, garante que foi surpreendido com a notícia de que o empresário Henrique Muacho, escolhido para ser candidato à Junta de Freguesia de Póvoa de Santo Adrião e Olival de Basto, é alvo de uma acusação do Ministério Público. O PÚBLICO consultou o despacho de acusação e nele pode ler-se que Henrique Muacho está acusado pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal de sete crimes de participação económica em negócio. 

Questionado sobre se este candidato fora uma escolha sua, Seara respondeu apenas: “Quem escolhe os candidatos são as estruturas locais”. Depois de saber que Muacho tinha renunciado, Fernando Seara não quis comentar.

A notícia de que Muacho está envolvido num caso que envolve a maçonaria e inclui 12 arguidos, um dos quais o ex-director-geral de Infraestruturas e Equipamentos do Ministério da Administração Interna, João Correia, acusado de corrupção, foi avançada pelo pelo jornal i e Sol.

Quanto a Fernando Seara, depois de ter governado a autarquia de Sintra, concorreu à Câmara Municipal de Lisboa, tendo sido derrotado pelo actual primeiro-ministro, António Costa. Nos últimos quatro anos foi vereador em Lisboa e agora está na corrida autárquica, mas com os olhos postos em Odivelas.