Caixa Económica Montepio Geral com lucros semestrais de 13 milhões

O banco Montepio avançou esta tarde que fechou os primeiros seis meses do ano com lucros de 13 milhões e um rácio de capital (indicador de solidez) de 12,6%.

Foto
Enric Vives-Rubio

A Caixa Económica Montepio Geral (CEMG) registou um lucro de 13 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, o que traduz uma subida de 80,7 milhões face ao mesmo período de 2016, divulgou a instituição chefiada por José Félix Morgado.

No comunicado enviado ao mercado, o banco da Associação Mutualista Montepio Geral (AMMG) justifica a evolução com três factores: o aumento de 31,6 milhões de euros (mais 28,3%) da margem financeira; a subida em nove milhões (mais 19,5%) das comissões líquidas; a redução de 14,6 milhões (menos 9,6%) dos custos operacionais.

Os resultados dos primeiros seis meses do ano “incorporam custos de contexto de 25,2 milhões relacionados com as contribuições para os fundos de resolução do sector bancário e para o fundo de garantia de depósitos".

O produto bancário comercial cresceu 25,7% para 198,5 milhões de euros. A CEMG registou, segundo a mesma nota, uma melhoria da eficiência operacional com o rácio Cost to Income a situar-se em 55,2% e registou ainda uma descida do custo do risco para 86 pontos base (menos 33 pontos base em Dezembro), mantendo a cobertura do crédito em risco de 118,4%.

Sem incorporar o efeito estimado de 50 pontos base da adesão ao regime dos activos por impostos diferidos, o rácio de capital Core Tier 1 da CEMG ascende agora a 12,6%. Uma evolução que já reflecte o aumento de capital de 250 milhões de euros injectados na totalidade pela AMMG, o seu único accionista, mas reflectindo também a redução dos activos ponderados pelo risco em 1,25 mil milhões de euros.