Mais de 650 bombeiros combatem as chamas em Alijó e em Mangualde

Em Alijó, as pessoas que foram retiradas de casa já regressaram às habitações.

O fogo chegou a ser dado como dominado ao início da tarde, mas verificou-se, depois, uma forte reactivação
Foto
O fogo chegou a ser dado como dominado ao início da tarde, mas verificou-se, depois, uma forte reactivação LUSA/PEDRO COSTA

Cerca de 150 bombeiros reforçaram o combate ao incêndio que deflagrou em Vila Chã, Alijó, distrito de Vila Real, onde estão mobilizados 330 operacionais, e as pessoas que foram retiradas das aldeias por precaução já regressaram a casa. No total, os incêndios de Alijó e de Mangualde (já no distrito de Viseu) que mobilizam mais de 650 bombeiros e cerca de 200 viaturas, e são os dois maiores activos hoje de manhã, segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC).

“São estes os dois incêndios de maior expressão e que se mantêm activos […]. Em Mangualde os outros dois já estão dominados”, disse à Lusa, Patrícia Gaspar, da ANPC.

Segundo a responsável, pelas 8h estavam a ser mobilizados meios aéreos para o combate às chamas.

Depois de no domingo as autoridades terem retirado algumas pessoas das suas casas por causa da progressão dos incêndios, ao início da manhã não havia qualquer indicação de habitações ameaçadas pelas chamas em nenhum dos dois incêndios.

“Não temos indicação de nenhuma situação mais critica a destacar. Durante a tarde e início da noite de domingo houve necessidade de retirar pessoas de habitações que estavam na linha de progressão do incêndio, mas foram deslocações preventivas para locais com maior segurança”, acrescentou a responsável da ANPC.

As 35 pessoas que no concelho de Alijó estiveram deslocadas no pavilhão gimnodesportivo, durante o dia de domingo, já puderam regressar às suas casas.

Também a circulação rodoviária nas estradas que tinham sido cortadas por causa do incêndio em Alijó já foi reposta, designadamente o IC5, que liga Alijó a Miranda do Douro.