CDS critica dualidade de critérios na atribuição de turmas com contrato de associação

Assunção Cristas vai pedir esclarecimentos ao Governo sobre os cortes de financiamento aos colégios.

Líder do CDS relaciona critérios diferentes para contratos de associação com as próximas eleições autárquicas
Foto
Líder do CDS relaciona critérios diferentes para contratos de associação com as próximas eleições autárquicas NUNO FERREIRA SANTOS

A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, acusou nesta segunda-feira o Ministério da Educação de dualidade de critérios na atribuição de turmas com contrato de associação em concelhos onde afirma parecer que a cor partidária influencia a decisão.

"Conseguimos encontrar exemplos em que para situações que deveriam ter o mesmo tipo de tratamento, a postura do Ministério da Educação [ME] é completamente diferente", afirmou Assunção Cristas, sublinhando que não quer  "crer que tenha a ver com motivações eleitorais e com as eleições autárquicas à porta".

"Às vezes a cor partidária dos concelhos parece que não é indiferente às decisões do ME", acrescentou a presidente do CDS-PP na Benedita (concelho de Alcobaça gerido pelo PSD), no final de uma reunião com os responsáveis do Externato Cooperativo local que, por decisão do ministério, terá menos três turmas do 10.º ano no próximo ano lectivo.

Uma situação em relação à qual Cristas disse não compreender "qual é o critério aplicado" para a escola que "existe há mais de 50 anos e que tem um grande histórico de sucesso e de qualidade a servir as populações da Benedita e freguesias limítrofes".

A líder do CDS acusa o Governo  de "tomar decisões que não têm qualquer racionalidade do ponto de vista do interesse das famílias, dos alunos, e até do ponto de vista económico e financeiro" mas, "apenas por razões puramente ideológicas".

Aos responsáveis pela escola, Assunção Cristas assegurou que o CDS-PP vai pedir ao Governo "esclarecimentos sobre a forma como os critérios estão a ser aplicados" e a "pugnar para que as escolas que prestam um serviço de qualidade - neste caso uma cooperativa criada pela população da Benedita, sem qualquer intuito lucrativo- que possam continuar a desenvolver o seu trabalho em prol dos seus alunos e das suas famílias".