Mulher-Maravilha bate recorde de filmes realizados por mulheres em salas norte-americanas

Filme inspirado na personagem da DC Comics arrecadou 89 milhões de euros em bilheteira no primeiro fim-de-semana.

Foto
Gal Gadot interpreta o papel de super-heroína, no filme dirigido pela realizadora Patty Jenkins Warner

Mulher-Maravilha bateu um recorde de vendas nas salas de cinema norte-americanas e canadianas. No primeiro fim-de-semana em cartaz, o filme realizado pela norte-americana Patty Jenkins arrecadou cerca de 89 milhões de euros em bilheteira, um valor nunca visto para títulos dirigidos por mulheres.

O filme da DC Comics, que reaviva a personagem criada pelo escritor William Moulton Marston, torna-se assim o filme dirigido por uma mulher que mais receitas obteve. Até então, esse recorde pertencia a Sam Taylor-Johnson e As 50 Sombras de Grey, com cerca de 75,5 milhões de euros em bilheteira no fim-de-semana de estreia.

À BBC, Jeff Goldstein, responsável pelo departamento de distribuição da Warner Bros, afirmou que “existe algo icónico na história da Mulher-Maravilha, que está a atingir o zeitgeist de forma perfeita”. Para o responsável, este filme teve um impacto global nos fãs. “Sabíamos que tínhamos algo especial”. Goldstein acrescentou ainda que, “apesar das duras críticas, ela [Gadot] emergiu como um verdadeiro ponto brilhante”.

É a actriz israelita Gal Gadot que dá vida à super-heroína Diana Prince. O filme retrata a vida de uma guerreira, que luta pela paz no mundo.

O filme não foi bem recebido em todos os países, levando à sua proibição no Líbano. Em causa está uma queixa apresentada pelo Governo libanês, por este considerar que o inimigo se estaria a infiltrar no país. A queixa fez com que o Mulher-Maravilha fosse banido das salas de cinemas libanesas. 

A realizadora norte-americana Patty Jenkins ficou conhecida com Monster (2003), filme inspirado na vida do assassino Aileen Wuornos.

No Reino Unido, Mulher-Maravilha atingiu também o recorde de vendas, com cerca de 7,1 milhões de euros. Apesar da grande correria às salas de cinema inglesas, o número não foi suficiente para superar As 50 Sombras de Grey, que rendeu 15,5 milhões de euros no Reino Unido, segundo a BBC.