Salvador Sobral e Luísa Sobral no Parlamento a convite de Ferro Rodrigues

Parlamento vota amanhã um voto de saudação ao intérprete e à compositora da música vencedora do Festival Eurovisão.

Manos Sobral no Parlamento
Foto
Manos Sobral no Parlamento Reuters/PEDRO NUNES

O vencedor do Festival Eurovisão, Salvador Sobral, e a compositora da música, Luísa Sobral, estarão esta sexta-feira no Parlamento a convite do presidente da Assembleia da República para assistirem à votação de uma saudação pelo feito conseguido em Kiev e para um almoço na sua residência oficial. Tendo em conta que o voto é apresentado por todos os partidos, deverá ser aprovado por unanimidade.

De acordo com informação do gabinete de Eduardo Ferro Rodrigues, o plenário votará, ao meio-dia, por proposta do presidente do Parlamento, uma saudação pela vitória de Portugal no Festival Eurovisão proposta por todos os grupos parlamentares e pelo deputado do PAN. Os dois cantores irão assistir nas galerias, assim como o presidente da administração da RTP, Gonçalo Reis, e depois participam num almoço.

No voto, os partidos escrevem que Salvador Sobral foi o “grande vencedor”, com um “record de pontos”, na primeira vez que Portugal venceu este festival “que durante décadas deixou o país preso ao ecrã da televisão, como aliás voltou a suceder agora”. A melhor classificação fora a de Lúcia Moniz – um sexto lugar em 1996. O texto realça este facto “singular na história contemporânea da música portuguesa” mas também “a personalidade e a qualidade invulgares deste intérprete, capaz de emocionar um público global que, maioritariamente, não conhecia ou dominava a língua portuguesa”.

Os deputados irão aprovar por unanimidade o texto que considera que o reconhecimento da dupla Sobral “foi também um momento de afirmação da universalidade da música e uma grande vitória para a língua portuguesa” – já que na última década todas as músicas vencedoras foram cantadas em inglês.

O Parlamento reconhece que “ao mérito do intérprete e da compositora junta-se o profissionalismo com que a RTP organizou a participação portuguesa em Kiev” e deseja à televisão pública “os maiores sucessos” para a organização da edição do festival em 2018.