Ataque em Londres: o que sabemos e o que não sabemos

Ainda está por confirmar a identidade e motivações do atacante ou as nacionalidades de todas as vítimas.

Foto
EPA/ANDY RAIN

O que sabemos

  • O atacante, ao volante de um veículo todo-terreno, atropela várias pessoas na Ponte de Westminster, junto ao Parlamento britânico
  • Depois de embater contra a cerca do jardim que circunda o Palácio de Westminster, o atacante, armado com uma faca, deixou o carro, entrou nos jardins do Old Palace Yard, que circunda o Parlamento, e esfaqueou um polícia que viria a morrer mais tarde.
  • No mesmo local, as autoridades abateram o suspeito.
  • A polícia confirmou a morte de cinco pessoas, entre as quais o atacante, e pelo menos 40 feridos. As autoridades dizem que alguns dos feridos estão em estado muito grave.
  • Duas das vítimas terão morrido na ponte, vítimas de atropelamento. Entre os feridos estão um português, três estudantes franceses e três polícias que regressavam de uma cerimónia na altura do incidente na ponte londrina.
  • Uma mulher foi resgatada do rio Tamisa em estado grave.
  • A polícia de Londres classificou o ataque como “incidente terrorista”.
  • A primeira-ministra, Theresa May, foi retirada do edifício do Parlamento e transportada para Downing Street. Os restantes deputados que se encontravam em debate permaneceram na câmara parlamentar por razões de segurança.

O que não sabemos

  • A identidade do autor do ataque ainda não foi confirmada.
  • Se existem mais atacantes ou cúmplices, apesar de a polícia já ter informado que acredita ter sido um ataque protagonizado por um suspeito apenas.
  • As motivações do atacante, apesar de a polícia londrina ter revelado que suspeita que o ataque esteja relacionado com o terrorismo internacional.
  • As nacionalidades das vítimas.
PÚBLICO -
Foto