Concelhia do PSD indica António Rodrigues para Assembleia Municipal de Sintra

"A intenção não é criar problemas à candidatura de Marco Almeida, é apenas cumprir as competências da comissão política", afirmou a presidente da comissão política concelhia.

Para as autárquicas, a concelhia do PSD aprovou o nome de António Rodrigues como cabeça de lista à Assembleia Municipal de Sintra
Foto
Para as autárquicas, a concelhia do PSD aprovou o nome de António Rodrigues como cabeça de lista à Assembleia Municipal de Sintra Rui Gaudencio

A concelhia do PSD aprovou, na terça-feira, o nome de António Rodrigues como cabeça de lista à Assembleia Municipal de Sintra, nas próximas autárquicas, mas o independente Marco Almeida assegura manter o seu candidato, que já anunciou ser António Capucho.

O deputado António Rodrigues "foi líder de bancada do PSD na assembleia municipal, no tempo do presidente Fernando Seara, também foi vice-presidente do grupo parlamentar do PSD, durante o Governo de Passos Coelho, e é militante em Sintra", salientou à Lusa a presidente da comissão política concelhia, Paula Neves.

A comissão política concelhia de Sintra aprovou, por unanimidade, "no âmbito das suas competências, a indicação do nome de António Costa Rodrigues, como cabeça de lista à Assembleia Municipal de Sintra, para as eleições autárquicas de 2017", afirmou em comunicado a estrutura social-democrata.

A concelhia aprovou ainda a indicação dos candidatos a presidentes de junta para quatro das 11 freguesias do município: António Brás (União das Freguesias de Queluz e Belas), Rui Pinto (Agualva e Mira Sintra), António Vilela (Cacém e S. Marcos) e Rui Laranjeira (Rio de Mouro).

"A intenção não é criar problemas à candidatura de Marco Almeida, é apenas cumprir as competências da comissão política", afirmou Paula Neves.

A actual vereadora recusou, assim, que a indicação do deputado possa criar problemas à candidatura do antigo militante social-democrata António Capucho, já anunciado para a Assembleia Municipal pelo independente Marco Almeida, que volta a concorrer indicado pelo PSD.

A presidente da concelhia lamentou ainda a decisão da concelhia do CDS-PP de não integrar uma coligação com a candidatura do PSD.

"Isto serão listas conjuntas e será respeitado o resultado eleitoral de 2013 ao nível das diferentes formações que vão integrar esta candidatura conjunta. Portanto, o PSD está a indicar os primeiros nomes do partido, não da candidatura, como é óbvio, porque essas decido eu", comentou à Lusa Marco Almeida.

Para o actual vereador e antigo militante do PSD, com a decisão da concelhia, "parece que o PSD está genuinamente empenhado na candidatura, porque está a apresentar os primeiros nomes do partido à Assembleia Municipal e às juntas de freguesia".

"O PSD aprovou o primeiro nome do PSD a integrar a lista de candidatura, que não altera nada relativamente ao que disse no passado, o candidato está escolhido para a Assembleia Municipal e, portanto, estou tranquilo", reforçou Marco Almeida.

A comissão política nacional do PSD já aprovou a candidatura de Marco Almeida à Câmara de Sintra, depois de o antigo vereador e vice-presidente do social-democrata Fernando Seara, que liderou a autarquia durante três mandatos, ter abandonado o partido e se ter candidatado à presidência da autarquia como independente.

O movimento independente Sintrenses com Marco Almeida (SCMA) foi derrotado pelo candidato do PS, Basílio Horta, por uma diferença de 1.700 votos, ocupando ambas as forças quatro lugares no executivo, à frente do então candidato social-democrata Pedro Pinto, que conseguiu apenas dois eleitos.

"No âmbito do processo de uma concertação de esforços para uma candidatura conjunta, o nome proposto [para a assembleia municipal] é o de António Capucho", afirmou Marco Almeida, em anteriores declarações à agência Lusa.

O antigo presidente da Câmara de Cascais, António Capucho, foi expulso do PSD em Fevereiro de 2014, ao fim de 40 anos de militância, após ter liderado a candidatura do movimento SCMA à Assembleia Municipal de Sintra.

Em relação à sua candidatura, Marco Almeida admitiu que ainda estão em aberto as listas para os diferentes órgãos municipais, tendo em conta negociações ainda em curso com o CDS-PP, apesar da concelhia do partido de Assunção Cristas já ter manifestado intenção de concorrer com uma lista própria em Sintra.

P24 O seu Público em -- -- minutos

-/-

Apoiado por BMW
Mais recomendações