António Domingues obrigado pelo Tribunal Constitucional a apresentar declaração de rendimentos

Decisão foi tomada esta quarta-feira pelos juízes do Palácio Ratton, no mesmo dia em que a nova comissão executiva da CGD entrou em funções.

Foto
Enric Vives-Rubio

O antigo presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), António Domingues, e os administradores que o acompanharam, vão mesmo ter de apresentar as respectivas declarações de rendimento e de património ao Tribunal Constitucional (TC). A decisão foi tomada na manhã desta quarta-feira pelos juízes do Palácio Ratton, noticia o jornal Expresso.

António Domingues renunciou à liderança da CGD em Novembro, depois de semanas de polémica em que o líder do banco público escolhido pelo Governo de António Costa se recusou a apresentar as declarações de rendimentos e de património exigidas pelo TC. Segundo o semanário, foi agora aprovado o acórdão que o obriga a apresentar os documentos. Também os membros da administração que se demitiram juntamente com Domingues e os actuais administradores terão de fornecer as referidas informações.

Esta decisão acontece no mesmo dia em que a nova comissão executiva da CGD, chefiada por Paulo Macedo, entrou em funções, depois de, na semana passada, o Banco Central Europeu ter dado a necessária “luz verde” aos membros que a integram.

Sugerir correcção