Fruta Feia chega a Matosinhos para salvar 1,5 toneladas de frutas e legumes por semana

Cooperativa aproveita produtos de agricultores locais que não chegam aos mercados por não terem o formato normalizado.

Foto
Fruta Feia começou por lutar contra o desperdício alimentar em Lisboa Nuno Ferreira Santos

A Fruta Feia, uma cooperativa que impediu 33 toneladas de frutas e legumes de ir parar à lixeira nos últimos cinco meses na zona Norte do país, chegou agora à cidade de Matosinhos e está a evitar desperdícios semanais de 1,5 toneladas.

A Fruta Feia chegou a Matosinhos há menos de um mês, conta com "250 associados" e está a conseguir salvar, por semana, 1,5 toneladas de fruta e legumes dos agricultores da região, contou nesta quarta-feira à Lusa, Bruno Monteiro, engenheiro de gestão industrial e voluntário naquela cooperativa.

A delegação de Matosinhos da Fruta Feia é o terceiro ponto de entrega no Norte e está localizada no Centro Incentivar a Partilha da Cruz de Pau, antiga escola primária, abrindo às segundas-feiras entre as 17h e as 21h.

O lema daquela cooperativa de consumo é “gente bonita come fruta feia” e a forma de operar é fazendo a recolha de produtos hortícolas e frutícolas da época junto dos agricultores, para depois vender os produtos frescos em cabazes ao consumidor final.

Os associados da Cooperativa Fruta Feia podem comprar frutícolas e hortícolas a um custo mais baixo do que é vendido actualmente nos mercados e nas grandes superfícies. Chama-se fruta feia porque os produtos não conseguem atingir o "calibre, a cor ou o formato que está normalizado neste momento no mercado", explica Bruno Monteiro.

Há cabazes com sete quilos e outros a rondar os quatro quilos, com preços que variam entre os sete e os 3,5 euros, respectivamente. As cestas são compostas por frutas e hortaliças que variam semanalmente conforme a época do ano e a oferta dos agricultores da região.

Os associados, mais de um milhar espalhado pelo país, segundo dados da organização, recebem informação todas as semanas através de correio electrónico, com uma espécie de cardápio dos vegetais e frutas disponíveis nessa semana. Os associados têm sempre direito às caixas de fruta, senão a quiserem comprar têm de avisar, para que a cooperativa reencaminhe as caixas para outros potenciais compradores ou para doar a instituições.

A cooperativa da “gente bonita come fruta feia” começou a trabalhar ao Norte de Portugal há cerca de cinco meses e começou a vender fruta e legumes no Porto e em Vila Nova de Gaia, associando "bons ideais às pessoas que estão dispostas a comer" fruta não normalizada.

O ponto de venda da Fruta Feia na cidade do Porto está situado na Cooperativa Povo Portuense e as entregas realizam-se às quartas-feiras, entre as 17h e as 21h. Em Vila Nova de Gaia, o ponto de venda funciona na Cooperativa Sol Maior, na rua José Bonaparte, dando às terças-feiras, entre as 17h e as 21h, uma segunda oportunidade aos alimentos.

A cooperativa tenta cobrir os custos dos trabalhadores, mas não tem fins lucrativos. Os últimos dados da Organização para Alimentação e Agricultura da Organização das Nações Unidas (ONU) indicam que 1,3 mil milhões de toneladas de alimentos são desperdiçados anualmente.

Sugerir correcção