Samsung interrompe produção do Galaxy Note 7

A marca sul-coreana não consegue resolver os problemas de baterias e, depois deste persistir com os aparelhos de substituição, decidiu suspender temporariamente a produção.

Foto
Um dos modelos que pegou fogo num avião da Southwest Airlines HANDOUT/Reuters

Os problemas com o Samsung Galaxy Note 7 estão longe de acabar e, por isso, a marca de telemóveis decidiu interromper temporariamente a produção do modelo, informa esta segunda-feira a Yonhap, a agência de notícias sul-coreana.

Depois de ter sido forçada, no mês passado, a suspender as vendas em alguns mercados, face ao crescente número de relatos e queixas sobre telemóveis que se desligavam sozinhos e baterias que ardiam durante o carregamento, a Samsung decidiu pedir aos clientes que entregassem os seus Galaxy Note 7, para que fossem substituídos. No entanto, os problemas e incidentes mantiveram-se, desta vez, com os aparelhos de substituição. 

A decisão de interromper temporariamente a produção deste modelo foi tomada em cooperação com a China e os EUA, e já depois de duas operadoras norte-americanas terem decidido deixar de trocar ou vender o Galaxy Note 7.

Os problemas do modelo da Samsung têm prejudicado a imagem e reputação da marca sul-coreana. Esta segunda-feira, as agências de aviação continuavam a pedir aos clientes que não utilizassem estes telemóveis durante os voos, "à luz dos recentes incidentes e preocupações com o Samsung Galaxy Note 7", pode ler-se no aeroporto internacional de Hong Kong, por exemplo.