PSD diz que auditoria do Governo pode ter sido "um logro"

Sociais-democratas desafiam o Governo a promover uma auditoria externa e independente à Caixa. PS diz que não deve ser essa a prioridade.

Foto
António Domingues na comissão de inquérito Miguel Manso

O PSD quer saber por que não foi levada a cabo a auditoria à gestão da Caixa Geral de Depósitos aprovada pelo Governo e quer que o ministro das Finanças "emende a mão" e promova uma auditoria, tal como os sociais-democratas tinham proposto. O PS defende que o "principal enfoque" deve ser fechar o plano de recapitalização com Bruxelas.

Os deputados do PSD ouviram nas palavras de António Domingues a confirmação de que tinham razão e que não devia ser a Caixa a promover uma auditoria em causa própria e questionam-se por que razão o executivo ainda não deu ordens ao banco público para levar a cabo a auditoria independente que aprovou em Conselho de Ministros em Junho.

"O PSD não quer crer que esse fogacho tenha sido um logro do ministro das Finanças para que a maioria de esquerda não tenha aprovado a auditoria do PSD", disse o deputado Hugo Soares à saída da comissão de inquérito.

Em causa está o facto de o novo presidente da CGD dizer que não está a fazer a auditoria independente ao banco público para analisar a gestão desde 2000, tal como foi aprovado pelo Governo e que não deveria ser a Caixa a fazê-lo, mas o Banco de Portugal. Para o PSD, isto é sinal de que o PS e a esquerda arranjaram uma desculpa para não aprovar a auditoria. 

Na resposta, os socialistas defenderam que a nova administração "ainda nem tem 30 dias à frente da Caixa" e que "o mais importante é que se encerre o plano de recapitalização", disse aos jornalistas João Paulo Correia. O deputado do PS admitiu ainda que "se faça uma auditoria sobre o que levou à recapitalização", mas "depois" de fechadas as negociações com Bruxelas.