Ministério Público acusa pais de menina chinesa que morreu após cair de prédio

Progenitores estão acusados pelo crime de exposição ou abandono agravado pelo resultado, a morte. Queda aconteceu numa das torres do Parque das Nações, enquanto os pais estavam no Casino de Lisboa.

Parque Expo vai continuar a assegurar gestão do Parque das Nações até que haja acordo
Foto
Parque Expo vai continuar a assegurar gestão do Parque das Nações até que haja acordo Foto: Enric Vives-Rubio

Os pais de uma menina chinesa que morreu em Fevereiro deste ano depois de cair de uma varanda do 21.º andar de uma torre no Parque das Nações, em Lisboa, foram recentemente acusados pelo Ministério Público. A acusação imputa-lhes o crime de exposição ou abandono agravado pelo resultado, a morte, de acordo com uma nota divulgada no site da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa nesta quarta-feira. Este crime é punido com uma pena que varia entre os três e os dez anos de prisão. 

De acordo com a acusação, os dois cidadãos chineses saíram de casa no dia 19 de Fevereiro deste ano, pela meia-noite, “para irem jogar no Casino de Lisboa”. Na habitação, no Parque das Nações, “deixaram a dormir a filha de cinco anos”. Pelas 2h20, “a menor acordou, abriu a porta da varanda, escalou o gradeamento, debruçou-se e caiu do 21.º andar para o terraço do piso 0 do edifício, tendo sofrido várias lesões que lhe provocaram a morte”.

O Casino de Lisboa fica a cerca de 600 metros de condomínio onde estava a menor. Quando chegaram a casa, os pais não encontraram a criança na cama e entraram em pânico. Devido ao estado de ansiedade dos pais, foi um segurança do condomínio que ligou para o 112, a dar o alerta. A criança foi encontrada numa espécie de pátio, de acesso público, junto ao centro comercial Vasco da Gama. Os pais foram depois levados para a sede da Polícia Judiciária.

De acordo com o que o PÚBLICO apurou na altura, o casal encontrava-se de férias em Portugal há cerca de uma semana, sendo residentes no sul da China, na região de Xangai. São detentores de vistos gold e têm outro filho, que não trouxeram consigo.

Os pais vão aguardar julgamento sujeitos a apresentações semanais no posto da polícia da sua área de residência. Estão também proibidos de se ausentarem para o estrangeiro.