Feira do Livro do Porto mostra cem tesouros da biblioteca municipal

Allen Halloween no Spoken Word, muito cinema e debates marcam edição deste ano da feira, que começa a 2 de Setembro

Mário Cláudio é o autor homenageado na Feira do Livro do Porto, este ano
Foto
Mário Cláudio é o autor homenageado na Feira do Livro do Porto, este ano Diogo Baptista

São dezenas de livros impressos, incunábulos, códices medievais. Tesouros. Cem tesouros da Biblioteca Municipal do Porto, expostos a partir de 2 de Setembro na Galeria Municipal. A exposição na Galeria Municipal, que inclui um documento visigótico com mais de mil anos, e que partiu de uma ideia do antigo vereador da Cultura Paulo Cunha e Silva, é uma das principais actividades do programa da Feira do Livro do Porto. Que volta a instalar-se nos Jardins do Palácio de Cristal, até 18 de Setembro, abrindo com uma conferência do escritor Luís Filipe de Castro Mendes, ministro da Cultura.

A feira deste ano tem como tema Ligação. O homenageado é Mário Cláudio, Prémio Pessoa, e vencedor do Grande Prémio APE com Retrato de Rapaz (2014) que vai ter uma árvore com o seu nome na Avenida das Tílias – ao lado de Agustina Bessa-Luís e Vasco Graça Moura – e assistir à estreia de um documentário sobre a sua obra. Mas, no campo das letras, Vergílio Ferreira, nos cem anos do seu nascimento, Valter Hugo Mãe, nos 20 que leva de carreira literária, e Mário de Carvalho surgem também em destaque no programa.

Com o Outono à espreita, o autor do longínquo Um Verão Assim (1974) vai ver, no sábado, dia 3, pelas 18h30, três amigos seus, Gomes Canotilho, Maria do Carmo Serém e José Alberto Pinheiro, discorrerem sobre a sua obra, e a sua vida, num dos muitos debates agendados e que, neste caso, se enquadra nas sessões Um Objecto e os seus Discursos por Semana. Mário Cláudio escolheu também, e vai apresentar, um dos muitos filmes agendados para esta edição da feira, no caso, O Beco, de Roman Polanski (Urso de Ouro em Berlim em 1966) e a fechar a feira, no dia 18, assistirá à estreia do documentário Os Dias de Mário Cláudio – Tocata e Fuga, realizado por Jorge Campos, com apoio da Câmara do Porto.

Vergílio Ferreira é alvo de uma exposição que revisita a sua obra e o seu processo de trabalho, num exercício com curadoria de Isaque Ferreira e Maria Bochicchio. E, no dia 17, está prevista também uma sessão especial dedicada ao autor de Manhã Submersa, com duas mesas de debate em que participarão seis especialistas na sua obra: José Carlos Seabra Pereira, Hélder Godinho, Fernanda Irene Fonseca, Isabel Cristina Rodrigues, José Manuel Mendes e Francisco Laranjo, a que se seguirá uma visita à exposição.   

Valter Hugo Mãe vai falar um pouco sobre o seu novo romance nesta edição da feira, numa sessão agendada para dia 14, na qual será conhecido, também, o programa de comemoração dos seus 20 anos de carreira literária. No ciclo de Spoken Word a sua poesia serve de mote ao Baile Falado com Valter Hugo Mãe, marcado para dia 17, um sábado, à noite, na qual ouviremos o actor Pedro Lamares, acompanhado ao piano por André Barros e pelos desenhos de PAM.

Já Mário de Carvalho apresenta o seu novo livro num Porto de Encontro especial, moderado como habitualmente pelo jornalista Sérgio Almeida, e marcado para as 18h de dia 11, quinta-feira. A sessão inclui leituras de Rui Spranger.

A aposta da Câmara do Porto na produção deste evento tem atraído mais participantes. Este ano há 17 novas ofertas para quem passar pelos jardins do Palácio de Cristal e entre as novidades está a Livraria Lello, mas também a Chiado Editora, a Bubok, o PÚBLICO ou a Ordem dos Arquitectos. Ao todo, estarão nos jardins 69 editoras, 26 livrarias, 16 alfarrabistas, 12 instituições e oito distribuidoras, durante duas semanas marcadas por um programa intenso, que abre no dia 2, às 17h45, com a conferência Toda a Biografia É Um Romance, por Luís Filipe de Castro Mendes, e inclui vários eventos dedicados ao público infantil, sete sessões de cinema, oito debates e várias sessões especiais e música com muita palavra dentro.

Nas sessões de Spoken Word, o grande destaque é o concerto de Allen Halloween, um dos nomes maiores do rap português, que logo a 2 de Setembro apresenta o seu terceiro álbum, Híbrido. No sábado, dia 3, o palco será entregue a Os Quais, projecto de Jacinto Lucas Pires e Tomás Cunha Ferreira, e na sexta-feira seguinte, dia 9, o jornalista do Expresso Nicolau Santos diz poesia ao som de clássicos de jazz, pelo quarteto de Manuel Lourenço. Uma semana depois, António Olaio e João Taborda celebram, no Porto, 20 anos passados desde o seu primeiro concerto, em 20 Years In a Plane.    

Quem pretenda ir à feira deste ano deve estar atento aos horários. Depois de um inquérito aos participantes e, pela percepção da autarquia sobre a afluência do público, decidiu-se que as portas abrem, diariamente, ao meio-dia. À noite, por outro lado, entre domingo e quinta-feira, a feira passa a fechar mais cedo uma hora, às 21h. Às sextas-feiras e sábados, mantém-se o encerramento às 23h, tal como nas três edições anteriores.