Para os pais a indisciplina mora sempre na escola ao lado

Inquérito a pais mostra que a maioria tem uma percepção positiva da escola dos filhos, mas desconfia das outras.

Em 2014/2015, em apenas 4,4% dos agrupamentos, registaram-se mais de nove mil participações disciplinares
Foto
Em 2014/2015, em apenas 4,4% dos agrupamentos, registaram-se mais de nove mil participações disciplinares MANUEL ROBERTO

 A indisciplina mora ao lado. Esta parece ser a percepção maioritária entre os encarregados de educação, quando inquiridos sobre a indisciplina nas escolas. Cerca de 79% dá o seu acordo à afirmação de que “há muita indisciplina noutras escolas”, uma percentagem que baixa para menos de metade (35,7%) quando a mesma declaração é feita a propósito dos estabelecimentos frequentados pelos filhos.

Este é um dos resultados do inquérito sobre a Indisciplina na Família, promovido pelo professor do ensino secundário Alexandre Henriques, a que responderam 2583 encarregados de educação, os quais deram conta que os principais motivos das discussões em casa se prendem com a desarrumação do quarto dos filhos e o uso de aparelhos tecnológicos, como os telemóveis.

De regresso à percepção da indisciplina nas escolas, o também autor do blogue ComRegras, onde este estudo pode ser consultado, considera que às diferenças registadas quando se olha para a escola dos filhos ou para as outras no geral “não será alheia a influência da mediatização deste assunto em detrimento das práticas positivas realizadas” nos estabelecimentos escolares.

Mas esta poderá ser uma percepção enganosa, como mostra um estudo de Março promovido por Alexandre Henriques sobre a indisciplina na escola, realizado em 4,4% dos agrupamentos escolares, num universo de 50 mil alunos. “O número de participações disciplinares (ordem de saída de sala de aula) é claramente elevada, são mais de 9 mil participações em apenas 4,4% dos agrupamentos/escolas em Portugal, o que extrapolando para uma amostragem a 100%, levaria a um número superior a 200 mil participações disciplinares num só ano”, comentou então o autor do blogue ComRegras, para quem a indisciplina na escola é mesmo o principal problema do sistema educativo português.

À semelhança do inquérito sobre o que se passa em casa, este centrado nas escolas foi também realizado com o apoio da Associação Nacional de Directores de Agrupamentos e Escolas Públicas. O estudo sobre a Indisciplina na Família dá conta também que a maioria dos pais considera que os filhos se portam melhor na escola do que em casa. Quando confrontados com as seguintes afirmações “o meu educando porta-se bem em casa” e “o meu educando porta-se bem na escola”, 39,8% afirmam concordar totalmente com a primeira, uma percentagem que sobe para 56,2% na segunda questão.

Os pais estão convencidos que os filhos gostam da escola (50,3% concordam totalmente com esta afirmação) e esta convicção supera até a sua própria percepção positiva sobre o estabelecimento escolar frequentado pelo filho, já que são menos os encarregados de educação (45,3%) que afirmam estar plenamente de acordo com a afirmação “gosto da escola do meu educando”. Quando questionados sobre o que mais gostam na escola dos filhos, quase 70% escolhem a “competência dos professores/educadores”, atrás mas a larga distância vem a segurança (47,3%), seguindo-se o horário escolar (39,1%). Na posição inversa, ou seja os aspectos que menos gostam, surgem em primeiro lugar as infra-estruturas (28,3%), seguido de novo pela indisciplina (24%) e leque de actividade extracurriculares (22,1%).