Militares da GNR passam a ter horário de 40 horas semanais

Ministra da Administração Interna anunciou esta segunda-feira a criação de um horário de referência na GNR, uma velha reivindicação dos militares da GNR.

A GNR, PSP e polícias municipais ficam com 30% do valor das multas
Foto
A GNR, PSP e polícias municipais ficam com 30% do valor das multas Foto: Carlos Lopes

Os militares da GNR vão passar a ter um horário de trabalho de 40 horas. A ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, anunciou na tarde desta terça-feira no Parlamento que enviou a portaria sobre esta matéria ao Ministério das Finanças. A portaria estabelece o número máximo de horas de trabalho e compensações face às horas extraordinárias, segundo a governante.

Constança Urbano de Sousa está a ser ouvida pela Comissão de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias a propósito do Relatório Anual de Segurança Interna de 2015, apresentado recentemente, e de um requerimento apresentado pelo grupo parlamentar do CDS-PP a pedir explicações precisamente sobre os cortes nas reformas dos agentes da PSP.

"Enviei na semana passada para o Ministério das Finanças uma portaria que estabelece um horário de referência semanal de trabalho na GNR. Estabelece compensações para quem trabalha além desse horário", referiu a ministra.

A fixação de uma horário de trabalho é uma velha reivindicaçao dos militares da GNR. Está há muito prevista, mas nunca  foi concretizada, o que faz com que estes militares vejam muitas vezes excedida a carga horária de trabalho a que estão sujeitos. 

Sugerir correcção