As adaptações de romances de Stephen King nunca mais acabam

Doctor Sleep é o livro com que Stephen King “ressuscita” o menino do sinistro Overlook Hotel de Shining. Adaptação é feita por Akiva Goldsman, que já ganhou um Óscar. Mas há outras obras suas à porta do cinema.

Foto
Stephen King não gostou da adaptação que Stanley Kubrick fez do seu Shining KENZO TRIBOUILLARD/AFP

Stephen King, o mestre da literatura de terror, esperou 30 anos para reencontrar Danny Torrance, o menino que em Shining: A casa do Horror (1977) se muda temporariamente para um famoso hotel nas montanhas do Colorado com a mãe e o pai, um aspirante a escritor com problemas de álcool. E reencontra-o em Doctor Sleep, romance que se tornou um bestseller mal foi lançado, em 2013, e vai agora ser levado ao cinema por Akiva Goldsman, que ganhou um Óscar pela adaptação de Uma Mente Brilhante e que é também o autor dos guiões de Batman & Robin e Magia e Sedução.

Danny, que em Shining demonstra ter capacidades psíquicas sobrenaturais – tem premonições, consegue ler mentes e aceder ao passado do sinistro Overlook Hotel, onde várias pessoas foram assassinadas – é em Doctor Sleep um homem de meia idade que nunca venceu o trauma da temporada que passou nas montanhas, quando o pai, possuído por forças malignas, tentou matar a sua própria família, ali isolada pela neve.  

Depois de ter andado décadas “perdido”, Danny Torrance aparece em Doctor Sleep empregado numa casa de repouso numa pequena cidade do New Hampshire. Fazendo uso dos seus recursos mentais, e com a ajuda de um gato que prevê a morte dos utentes, Danny acompanha-os na sua fase final, transformando-se no “Dr. Sono”. É nessa instituição que conhece Abra Stone, uma menina de 12 anos que tem capacidades psíquicas muito superiores às suas, vendo-se envolvido numa batalha sangrenta para a salvar de um grupo terrível com poderes paranormais.

Segundo o diário britânico The Guardian, o filme não tem ainda realizador confirmado, embora já se saiba que o próprio autor vai estar envolvido no projecto, enquanto produtor executivo. Stephen King, o mestre da literatura de terror, terá certamente uma palavra a dizer sobre o escolhido, já que é sabido que a adaptação que o realizador Stanley Kubrick fez do romance de 1977 (Shining estreou em 1980, com um guião co-escrito pelo cineasta americano e a romancista Diane Johnson, com Jack Nicholson e Shelley Duvall no elenco), hoje transformado em filme de culto, não lhe agradou. O escritor considerou-a “misógina”.

Doctor Sleep é apenas uma das adaptaçãoes de romances de Stephen King que estão prestes a chegar ao cinema. A primeira a ter lançamento oficial, que deverá acontecer até ao final deste ano, é Cell: Chamada para a Morte, filme realizado por Tod Williams, com Samuel L. Jackson, John Cusack e Isabelle Fuhrman entre os actores. A segunda, já quase em fase de produção, diz o diário britânico, baseia-se na série de romances A Torre Negra e vai contar com um elenco em que se destacam Idris Elba e Matthew McConaughey. O realizador é Nikolaj Arcel, co-autor do guião, que chamou para a sua equipa o mesmo Akiva Goldsman de Doctor Sleep, que não tem ainda data de estreia.