Lello lança novo projecto nos centenários Armazéns do Castelo

A longo prazo, a livraria pretende criar nos Armazéns um auditório, um espaço museu sobre a história do livro e uma zona de leitura livre.

Foto

A Livraria Lello inaugura nesta quarta-feira um projecto com “identidade própria” no espaço dos Armazéns do Castelo, na Rua das Carmelitas. O projecto, ainda em desenvolvimento, contará apenas com produtos portugueses escolhidos pela sua “história, memória e qualidade”, revela a livraria em comunicado.

Nas centenárias casas dos Armazéns do Castelo vai nascer agora um “novo projecto multidisciplinar, independente e com identidade própria” onde a Livraria Lello quer projectar um espaço apenas com produtos portugueses como livros, artigos 100% naturais, brinquedos artesanais e merchandising exclusivo da livraria, entre outros.

Este é um projecto em construção com a cidade e ainda em desenvolvimento, onde se pretende criar futuramente um auditório, um espaço museológico sobre a história do livro e uma zona de leitura livre. A médio prazo, o espaço será uma aposta da livraria “num grande projecto cultural e turístico do norte do país.”

Após a inauguração, a Lello convida todos os portuenses a visitarem a renovada porta número 166 da Rua das Carmelitas, prometendo ainda manter o “traçado original e os traços históricos” dos Armazéns. Com o intuito de manter a “essência” do anterior espaço, parte da decoração e todo o mobiliário será reciclado no novo projecto.

De portas abertas desde 1910, os Armazéns do Castelo eram a mais luxuosa casa de têxtil lar, decoração e vestuário da cidade do Porto. Agora, a Livraria Lello adquiriu a empresa A. Vale & Cia, Lda, titular dos dois estabelecimentos que gerem o negócio conhecido por Armazéns do Castelo - e não o imóvel como inicialmente anunciado - para voltar a dinamizar os espaços. 

A inauguração dos renovados Armazéns ocorre nesta quarta-feira, entre as 17h e as 19h. Após a inauguração, a loja estará aberta à população, todos os dias com excepção do domingo, entre as 10h e as 19h. 

Texto editado por Ana Fernandes

Sugerir correcção