Nomeações 2016: entre o Óscar Renascido e o Óscar que lava mais branco

O Renascido, com 12 nomeações, e Mad Max: Estrada da Fúria, com dez, lideram a corrida aos prémios da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood. Falta de diversidade está a ser criticada.

Fotogaleria
O Renascido lidera a corrida na aritmética com 12 nomeações dr
Fotogaleria
Brooklyn dr
Fotogaleria
Carol dr
Fotogaleria
Jennifer Lawrence está nomeada por Joy dr
Fotogaleria
Eddie Redmayne está nomeado por A Rapariga Dinamarquesa dr
Fotogaleria
A Queda de Wall Street dr
Fotogaleria
Divertida-mente dr
Fotogaleria
Jennifer Jason Leigh consegue a única nomeação nas categorias principais para Os Oito Odiados dr
Fotogaleria
O Caso Spotlight dr
Fotogaleria
Perdido em Marte dr
Fotogaleria
Sicario - Infiltrado dr
Fotogaleria
A Ovelha Choné DR

A previsão da crise em Wall Street, astronautas presos em Marte, espiões, jornalistas a braços com o escândalo de pedofilia da Igreja Católica e, claro, o pioneiro na fronteira norte-americana. “Casos reais”, nomes sonantes ou negros de fora – Tarantino, Spielberg, Straight Outta Compton – e repetentes favoritos. Imagens dos Óscares de 2016, que afinam a mira de uma temporada de prémios já com O Renascido e Alejandro G. Iñarritú bem posicionado na linha de fogo, seguido daquele que inicialmente apenas se insinuava na corrida e que agora é um dos seus veículos mais acelerados – Mad Max: Estrada da Fúria.

O anúncio das nomeações para os 88.ºs Óscares, que se realizam a 28 de Fevereiro, presta-se às reacções imediatas –a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood podia ter escolhido dez candidatos a Melhor Filme e só considerou oito, não há um único actor que não seja branco nomeado e que, entre o total de 24 categorias, dois filmes concentram um número de destaque de nomeações. São contas, senhores, são só contas, mas que colocam de facto “à frente” na aritmética O Renascido, com 12 nomeações, e favorecem o regresso ao pós-apocalíptico Mad Max pelo australiano bafejado por vapores do diesel George Miller, com 10 nomeações.

Mas se Mad Max: Estrada da Fúria está ausente de categorias de peso (como interpretação ou argumento) e é reconhecido pela Fotografia, Guarda-Roupa, Montagem, Efeitos Visuais ou Caracterização, O Renascido acompanha-o em todas e ainda lhes soma Leonardo DiCaprio e Tom Hardy nas categorias de Actor Principal e Secundário. DiCaprio chegará a Los Angeles no dia 28 de Fevereiro com seis nomeações e zero vitórias na bagagem.

Miller e Alejandro G. Iñarritú concorrem com Adam McKay (A Queda de Wall Street), Lenny Abrahamson (Quarto) e Tom McCarthy (O Caso Spotlight) para Melhor Realizador (mais uma vez repetindo ipsis verbis as nomeações da Guilda dos Realizadores), todos autores de títulos nomeados para Melhor Filme. Ficam de fora Steven Spielberg por A Ponte dos Espiões ou Ridley Scott por Perdido em Marte – ambos nomeados para Melhor Filme. Mas é Iñarritú o cineasta que tem Óscares de Melhor Realizador e Melhor Filme com muito pouco tempo na prateleira - Birdman foi o vencedor de 2015.

DiCaprio, vindo de uma vitória nos sectorialmente irrelevantes Globos de Ouro, bate-se por seu turno com Bryan Cranston (Trumbo, com estreia agendada para 18 de Fevereiro em Portugal), Matt Damon Perdido em Marte e com o Steve Jobs de Michael Fassbender – que, com Kate Winslet consegue as únicas nomeações para o filme, com o potencial Aaron Sorkin a falhar a nomeação de Argumento Adaptado -, além de Eddie Redmayne no muito elogiado papel transgénero em A Rapariga Dinamarquesa.

Alicia Vikander é nomeada pelo mesmo filme na categoria de Actriz Secundária. Poderia ter tido uma menção entre as actrizes principais com Ex Machina, uma constante na corrente temporada de nomeações, prémios e passadeiras vermelhas, mas ela foi para Jennifer Lawrence, mais uma vez dirigida por David O. Russell em Joy (que tem aqui a sua única nomeação), para a incontornável Cate Blanchet em Carol, para Charlotte Rampling em 45 Anos, Saoirse Ronan em Brooklyn (o oitavo nomeado para Melhor Filme, que se estreia esta quinta-feira nos cinemas portugueses) e Brie Larson em Quarto (estreia a 11 de Fevereiro em Portugal) – o filme que mais espaço ganhou entre as previsões dos peritos e as nomeações dos vários sectores da indústria e as concretizadas pela Academia. Carol, de Todd Haynes, ficou de fora no Melhor Filme e marca a primeira vez que o produtor Harvey Weinstein não tem um filme na corrida mais desejada desde 2008.

Óscar tão branco

O tema diversidade, que tanto tem marcado os Óscares nos últimos anos e que tão premente continua a ser à luz das tensões raciais e de género nos EUA (e no mundo), é um dos que está a gerar mais reacções adversas às nomeações da Academia nas redes sociais e na crítica especializada. Hashtag: OscarsSoWhite. Também em 2015 o panorama era este, caucasiano, e também então gerou protestos.

Creed: O Legado de Rocky, cujo actor principal, Michael B. Jordan, e realizador, Ryan Coogler, são negros, é representado apenas pela nomeação de Sylvester Stallone como Actor Secundário, Will Smith foi ignorado em Concussion – A Força da Verdade (sobre as lesões neurológicas no futebol americano e que estreia a 3 de Março em Portugal) e A Rapariga Dinamarquesa fica-se por duas nomeações de interpretação. De fora ficaram ainda o biopic sobre os rappers NWA Straight Outta Compton, fenómeno do Verão norte-americano sem estreia em sala em Portugal, Chi-raq, o novo de Spike Lee, ou a interpretação de Samuel L. Jackson em Os Oito Odiados. Idris Elba, tido como um favorito e nomeado para os BAFTA e pela Guilda dos Actores por Beasts of No Nation, também ficou pelo caminho – como o próprio filme, de Cary Fukanaga, uma produção do serviço de streaming Netflix que, ainda assim repete o feito de 2014 e tem dois documentários, What Happened, Miss Simone? e Winter on Fire na contenda de Documentário. Amy, sobre a cantora Amy Winehouse, Cartel Land e O Olhar do Silêncio completam a lista dos candidatos nessa categoria.

O anúncio foi feito ao início do dia de quinta-feira (hora de Los Angeles) pelos realizadores Guillermo del Toro e Ang Lee e pelo actor John Krasinski e pela presidente da Academia Cheryl Boone Isaacs e incluiu ainda os nomeados para Filme Estrangeiro - Embrace of the Serpent (Colômbia), Mustang (França), Filho de Saul (Hungria, estreia em Portugal a 25 de Fevereiro), Theeb (Jordânia), A War (Dinamarca).

Aquele que será potencialmente o maior filme de sempre, o sétimo Star Wars: O Despertar da Força, bate-se apenas nas expectáveis nomeações nas chamadas categorias técnicas – Montagem, Montagem de Som, Mistura de Som, Efeitos Visuais e junta-se com o seu John Williams a Os Odiados Oito (estreia a 4 de Fevereiro), de Quentin Tarantino e com o seu próprio gigante na composição para cinema, Ennio Morricone, na categoria de Melhor Banda Sonora Original.

O western de salão de Tarantino é o grande perdedor do dia: está apenas nomeado para Fotografia e entre as Actrizes Secundárias com Jennifer Jason Leigh a competir com Rooney Mara (Carol, que se estreia a 4 de Fevereiro no mercado português) e Rachel McAdams (O Caso Spotlight -estreia-se dia 28 nas salas portuguesas).

 

Melhor Filme

  • A Queda de Wall Street
  • A Ponte dos Espiões
  • Brooklyn
  • Mad Max: Estrada da Fúria
  • Perdido em Marte
  • O Renascido
  • O Caso Spotlight
  • Quarto

Melhor Realizador

  • Adam McKay por A Queda de Wall Street
  • George Miller por Mad Max: Estrada da Fúria
  • Lenny Abrahamson por Quarto
  • Alejandro G. Iñarritú por O Renascido
  • Tom McCarthy por O Caso Spotlight

Melhor Actor

  • Bryan Cranston em Trumbo
  • Matt Damon em Perdido em Marte
  • Michael Fassbender em Steve Jobs
  • Leonardo DiCaprio em O Renascido
  • Eddie Redmayne em A Rapariga Dinamarquesa

Melhor Actriz

  • Cate Blanchet em Carol
  • Brie Larson em Quarto
  • Charlotte Rampling em 45 Anos
  • Saoirse Ronan em Brooklyn
  • Jennifer Lawrence em Joy 

Melhor Actriz Secundária

  • Jennifer Jason Leigh em Os Oito Odiados
  • Rooney Mara em Carol
  • Alicia Vikander em A Rapariga Dinamarquesa
  • Kate Winslet em Steve Jobs
  • Rachel McAdams em Spotlight

Melhor Actor Secundário

  • Christian Bale em A Queda de Wall Street
  • Tom Hardy em O Renascido
  • Mark Ruffalo em O Caso Spotlight
  • Mark Rylance em A Ponte dos Espiões
  • Sylvester Stallone em O Legado de Rocky

Melhor Argumento Original

  • Ex Machina
  • A Ponte dos Espiões
  • Divertida-mente
  • O Caso Spotlight
  • Straight Outta Compton

Melhor Argumento Adaptado

  • A Queda de Wall Street
  • Brooklyn
  • Carol
  • Quarto
  • Perdido em Marte

Melhor Filme de Animação

Filme em Língua Estrangeira

  • Embrace of the Serpent (Colômbia)
  • Mustang (França)
  • Filho de Saul (Hungria)
  • Theeb (Jordânia)
  • A War (Dinamarca)

Melhor Fotografia

Melhor Documentário

  • What Happened, Miss Simone?
  • Winter on Fire
  • Cartel Land
  • The Look of Silence
  • Amy

Canção Original

  • Earned It de As 50 Sombras de Grey
  • Manta Ray de Racing Extinction 
  • Simple Song #3 de A Juventude
  • Til It Happens To You de The Hunting Ground
  • Writing’s On The Wall de Spectre

 

A lista completa de nomeações pode ser consultada aqui.