Morreu o actor brasileiro Antônio Pompêo

O profissional era também um activista dos direitos dos negros.

Foto
DR

O actor brasileiro Antônio Pompêo, que entrou em filmes como Xica da Silva e telenovelas como O Rei do Gado, foi encontrado morto na terça-feira na sua casa do Rio de Janeiro. Tinha 62 anos e as causas da morte ainda não são conhecidas.

Pompêo, que também era artista plástico, envolveu-se activamente na luta contra o racismo e pela valorização do negro na cultura e sociedade brasileiras, tendo sido director da Fundação Palmares, ligada ao Ministério da Cultura do Brasil, que promove o estudo e divulgação da cultura afro-brasileira. Foi ele que idealizou o projecto "A Cor da Cultura".

A sua estreia no cinema foi em 1976 com Xica da Silva, de Carlos Diegues, tendo feito vários filmes até ao início dos anos 1980. A partir daí dedicou-se especialmente à televisão, voltando ao cinema 17 anos depois, com O Xangô de Baker Street (2001), de Miguel Faria Jr. 

Além de O Rei do Gado (1996), em que era o Dominguinhos, participou noutras novelas da Globo, como A Viagem (1994), Mulheres de Areia (1993), Pedra Sobre Pedra (1992) e Fera Ferida (1993). O seu último trabalho na televisão foi em 2012 na telenovela Balacobaco, da Record.

A actriz Zezé Motta, que trabalhou com Pompêo em Xica da Silva, lamentou a morte do colega no Facebook: "Em choque e com muito pesar que comunico a perda do meu amigo e grande actor Antônio Pompêo. Juntos, trabalhamos em Xica da Silva, Quilombo, entre tantos outros projectos no cinema, na televisão foram mais de cinco novelas onde tivemos a oportunidade em estarmos juntos... Pompêo também presidiu o Centro de Informação e Documentação do Artista Negro, fundado por mim em 1984. A dor é grande! Descanse em paz meu amigo."