Candidatos independentes à Presidência encontram-se na sexta-feira

Cândido Ferreira organiza uma reunião para discutir as desigualdades legais e formais entre campanhas apoiadas e não apoiadas por partidos.

Foto
Cândido Ferreira Rui Gaudêncio

O candidato à Presidência da República Cândido Ferreira já se tinha insurgido contra a “desconsideração da comunicação social” pelas candidaturas independentes, lamentando a falta de atenção dos média pelas campanhas não apoiadas por partidos, que colocava em causa o “princípio da Igualdade e a própria legitimidade do sistema democrático”.

Como tinha informado ao PÚBLICO na semana passada, o médico natural do distrito de Coimbra enviou nesta segunda-feira um convite formal às candidaturas independentes a Belém. Henrique Neto, Paulo de Morais, Castanheira Barros, Paulo Freitas do Amaral, Orlando Cruz, Graça Castanho, Jorge Sequeira, Paulo Borges, Manuela Gonzaga e Sérgio Gave Fraga receberam convites de Cândido Ferreira.

O objectivo é promover um encontro de candidaturas presidenciais independentes na próxima sexta-feira, às 11h, no Clube dos Jornalistas em Lisboa, para “troca de impressões e eventual tomada de posição política conjunta”.

O antigo presidente do PS/Leiria pretende denunciar as “discriminações” e os “constrangimentos” que são colocados às campanhas não partidárias além da “cobertura desproporcional” dos órgãos de comunicação social, como a não isenção da certificação das assinaturas a cargo das Juntas de Freguesias, os diferentes regimes de tributação das campanhas, a fiscalização das contas a cargo de juízes nomeados por partidos políticos ou a recolha de assinaturas nas prisões.

A entrada deste encontro é aberta a todas as candidaturas independentes.

As “candidaturas partidárias” também podem participar no debate de sexta-feira, pois foi-lhes "dado conhecimento" do encontro, embora não tenham recebido um convite formal. Marcelo Rebelo de Sousa, Maria de Belém, Sampaio da Nóvoa e Edgar Silva são considerados como candidatos “partidários” por Cândido Ferreira, que acredita que, “apesar da sua dependência”, estas candidaturas poderão contribuir com soluções válidas que promovam a "igualdade legal e formal" entre as diversas candidaturas.

Notícia editada por Leonete Botelho