Grupo RAR vende Imperial a fundo de private equity

Maior produtor de chocolates português passará para as mãos da Vallis Capital Partners

Imperial assegura um quinto das vendas fora de Portugal
Foto
Imperial assegura um quinto das vendas fora de Portugal Adelaide Carneiro

O Grupo RAR vendeu a Imperial, que fabrica os chocolates Regina ou Jubileu, ao fundo Vallis Sustainable Investments I, da Vallis Capital Partners. Em comunicado, a empresa justifica a operação com um “contexto de avaliação e realocação dos activos”. Ainda recentemente, a RAR vendeu a participação que tinha na agência de viagens Geostar à Sonae, que passou a ser o seu único accionista.

A Vallis Capital Partners tem investimentos em áreas diversificadas, como a agricultura (na Hubel, produtora de frutos vermelhos), medicina (clínicas dentárias e serviços de genética médica) ou na construção. É liderada por Pedro Gonçalves, antigo presidente executivo da Soares da Costa e foi fundada por Eduardo Rocha, Luís Santos Carvalho e Luís Palma da Graça.

“A Imperial, pela importância e reconhecimento que lhe são atribuídos, sempre despertou o interesse do mercado. O fundo Vallis Sustainable Investments I concretizou uma proposta de compra da Imperial que o Grupo RAR decidiu aceitar, ao fim de mais de 40 anos de detenção da empresa no seu portefólio”, diz a empresa em comunicado. A venda do total do capital está sujeita à aprovação da Autoridade da Concorrência.

A Imperial é o maior produtor português de chocolates e com as marcas Jubileu, Regina, Pintarolas ou Pantagruel tem um volume de negócios de 27 milhões de euros. Assegura um quinto das vendas fora do país, exportando para 45 geografias.

A RAR decidiu concentrar os seus investimentos nas empresas que considera mais estratégicas e, por isso, também avançou recentemente para a compra da totalidade da operação brasileira da Colep, produtora de embalagens. É dona da Vitacress mas é mais conhecida pela refinação de açúcar.