Apple anuncia serviço de música com estação de rádio mundial

Apple Music estará disponível a partir de 30 de Junho, em mais de 100 países.

Tim Cook diz que o Apple Music é o "próximo capítulo da música"
Foto
Tim Cook diz que o Apple Music é o "próximo capítulo da música" Robert Galbraith/Reuters

Faltava apenas o anúncio oficial e Tim Cook fê-lo esta segunda-feira no evento anual da Apple destinado a programadores. A Apple tem a partir de agora um serviço de streaming de música, o Apple Music, que junta numa só aplicação o acesso a uma gigantesca colecção de música mediante pagamento, uma rádio com emissão de 24 horas por dia e a possibilidade de ligar os utilizadores aos seus artistas favoritos.

“Hoje anunciamos o Apple Music, o próximo capítulo da música”. Foi desta forma que o CEO da Apple, Tim Cook, anunciou a incursão da empresa norte-americana num mundo que tem até agora como líder o Spotify. A partir de 30 de Junho, o serviço de streaming de música vai estar disponível em 100 países para utilizadores com iPhone ou iPad com a versão 8.4 do iOS. O serviço chega aos aparelhos Android no próximo Outono. Durante três meses é possível usar o Apple Music de forma gratuita mas após esse período terá um custo de 9,99 dólares mensais. Por 14,99 dólares, até seis pessoas de uma família podem aceder ao serviço, sendo que cada membro tem a sua própria conta.

Dentro do Apple Music há a função Connect, que a Apple pretende que estabeleça a ligação entre os artistas e os seus fãs. "Connect é o lugar onde os artistas podem fazer o upload da sua música, dos seus vídeos, das suas fotos, tudo directamente para os seus fãs”, explicou Jimmy Iovine, o produtor musical que com o rapper Dr. Dre fundou Beats, um serviço de streaming de música comprado pela Apple em 2014, por 2200 milhões de euros. Tanto Iovine, como Dre trabalham agora para a Apple. 

No Apple Music, o utilizador acede a uma espécie de perfil de cada artista, que mostra as imagens, vídeos e áudios partilhados pelos músicos nas redes sociais ou directamente no Connect. Do lado do utilizador é possível ter acesso a todas as músicas adquiridas através do iTunes e a todas as playlists criadas até agora. Isto através da função My Music. Há ainda a função For You, onde a Apple disponibiliza listas de músicas personalizadas e álbuns, tendo em conta as preferências manifestadas pelo utilizador. Através do Apple Music, passa a haver espaço para recomendações de artistas e álbuns por parte de especialistas, que a Apple apresenta como “pessoas reais que sabem e amam a música”.

A Siri, a assistente pessoal da Apple, pode também ser usada no Apple Music. Para isso, basta dizer o nome de um tema ou de um álbum e estes surgem automaticamente no smartphone ou tablet. Pode aumentar-se a parada e pedir o top 10 das músicas mais ouvidas no momento ou há vários anos. As dezenas de milhares de vídeos disponíveis através do serviço não vão ter anúncios.

A acompanhar o serviço de streaming de música há Beats1, uma estação de rádio que emite a partir de Los Angeles, Nova Iorque e Londres, sete dias por semana, 24 horas por dia, para mais de 100 países. A proposta foi feita à Apple por Trent Reznor, o líder do grupo Nine Inch Nails e outro dos nomes fortes do Beats, adquirido pela Apple.