Torne-se perito

App com "emojis abusados" quer ajudar jovens a falarem sobre os seus problemas

Aplicação tem 15 emojis disponíveis para representar várias situações que a criança pode estar a enfrentar, desde abusos físicos a psicológicos.

Foto
Abused Emojis/Bris

Muitas vezes é difícil descrever situações difíceis por palavras. Se se transferir essa realidade para a de crianças e jovens que são vítimas de maus-tratos ou de bullying ou estão deprimidos, contar o que passou ou o que se sente numa troca de mensagens com amigos pode tornar-se complicado. Uma organização sueca que ajuda menores através de uma linha telefónica e um site criou a aplicação móvel Abused Emojis, pequenos bonecos expressivos, que pretende ajudar crianças e adolescentes a falarem sobre os seus problemas.

Abused Emojis, qualquer coisa como emojis abusados, é uma app gratuita, disponível, para já, para iOS, criada pela Bris, uma organização sem fins lucrativos, cujo trabalho diário é falar com crianças através da sua linha telefónica e página online. “Muitos dos problemas que as crianças enfrentam hoje são estigmatizados e muitas vezes elas não têm mais ninguém com quem conversar a não ser nós. A app Abused Emojis é um símbolo para o nosso trabalho para que as crianças falem mais livremente sobre a sua situação”, lê-se na página da aplicação lançada esta semana.

A app tem 15 emojis criados a partir de bonecos já existentes, mas cada um adaptado a uma determinada situação de abuso físico ou psicológico. Existem emojis com ferimentos, a representar pensamentos negativos ou onde as figuras parentais surgem ao lado do boneco que representa a criança com um copo de vinho ou cerveja, para representar pais que sejam alcoólicos, por exemplo.

A Bris indica no seu site a que o anonimato é essencial nestes casos e que não recolhe qualquer dado ou conteúdo sobre quem descarregar a sua app. Após a instalação, os emojis podem ser inseridos em qualquer mensagem e a pessoa que a receber poderá vê-la mesmo que não tenha a app e esteja a utilizar outro dispositivo que não use o sistema operativo da Apple.

Quatro dias após o lançamento de Abused Emojis, a app já tinha sido descarregada vários milhares de vezes. A Bris indica que, neste momento, a app é a terceira mais procurada par iOS na Suécia.

A responsável pela comunicação da Bris, Silvia Ernhagen, explicou ao Huffington Post que a app funciona como uma campanha para “encorajar as crianças a não ficarem em silêncio sobre os seus problemas mas a aproximarem-se dos outros”. “Pensamos que não existe nenhuma maneira errada de comunicar e queremos que as crianças comuniquem mais. Através de Abused Emojis, queremos dar-lhes uma ampla gama de emoções e sentimentos para escolher”, acrescentou.

Sugerir correcção