Crescimento do preço das casas deverá acelerar nos próximos meses

Valor das rendas revela tendência para estabilização.

Governo prevê a criação de um Balcão Nacional de Arrendamento.
Foto
Mais de meio milhar de contratos de arrendamento está registado electronicamente. Paulo Ricca

O preço das casas e a procura continuou a aumentar em Março, e os mediadores antecipam uma melhoria contínua do mercado no curto prazo, conclui o inquérito do Portuguese Housing Market Survey (PHMS), divulgado esta quarta-feira.

De acordo com PHMS de Março, a melhoria contínua no mercado de compra e venda de casas tem levado a uma recuperação mais sólida de preços.

“Nos últimos três meses, o preço das casas aumentou ligeiramente em cada um dos meses, interrompendo uma ciclo de quase cinco anos de quedas persistentes”, revela o inquérito, em participaram 150 empresas de mediação e promoção imobiliária.

Segundo os resultados do inquérito, “a procura conduzida por novos compradores está a crescer sucessivamente há 20 meses, enquanto as vendas acordadas aumentam pelo 13º mês consecutivo em Março”.

Face a este cenário de consolidação, os inquiridos no PHMS apresentam em Março expectativas bastante positivas para a evolução dos preços, prevendo que estes aumentem a um ritmo mais acelerado nos próximos três meses.

As expectativas relativas aos preços apontam em Março um novo máximo desde início deste inquérito, em 2010, e dão ainda conta de que esta aceleração se deverá verificar em todas as regiões abrangidas, nomeadamente Porto, Lisboa e Algarve, com maior evidência nas duas últimas.

Também o índice de confiança (composto pelos preços e pelas expectativas de vendas) aumentou mais uma vez em Março para um nível recorde.

Já no caso do arrendamento, o cenário expectável para os próximos meses é para a estabilização das rendas. Em Março, e pela primeira vez em quatro anos, as rendas mantiveram-se estáveis em todas as regiões portuguesas abrangidas pelo PHMS, sendo que as expectativas dos inquiridos apontam para a continuação desta tendência. Neste mês, a procura de novas casas por parte dos arrendatários apresentou-se relativamente estável. E, do lado da oferta, as novas instruções de arrendamento caíram ainda mais.

Sobre o mercado de compra e venda de imóveis, Ricardo Guimarães, director da Ci, explica que “Lisboa está a atrair uma quantidade substancial de investidores, o que está a impulsionar os níveis de actividade bem como os níveis de preços”.

O responsável destaca que o aumento “está essencialmente ligado ao capital estrangeiro e a oportunidades na reabilitação urbana. De acordo com os respondentes, contudo, outros mercados estão já a começar a melhorar, quer devido à procura internacional ou sazonal (como é o caso do Algarve) quer devido a melhores condições de crédito”.

Simon Rubinsohn, economista do RICS, considera que, “com os preços em modo de recuperação ao longo dos últimos três meses, as perspectivas são cada vez mais optimistas”.

Contudo, o responsável sustenta que “para sustentar esta tendência o mercado ainda necessita de ser apoiado por uma melhoria continuada no mercado de trabalho, na concessão e disponibilidade de crédito e, de forma mais geral, da própria economia”.

O Portuguese Housing Market Survey (PHMS) é da responsabilidade da Confidencial Imobiliário (Ci), empresa especializada na recolha e tratamento de dados sobre o mercado imobiliário, e o Royal Institution of Chartered Surveyors, especializado na qualificação de profissionais que trabalham na mediação e avaliação imobiliária.

Sugerir correcção