Costa deixa Câmara de Lisboa para se concentrar apenas no PS

A cinco meses das eleições legislativas, o secretário-geral do PS renuncia esta quarta-feira ao mandato. Fernando Medina deve ser o próximo líder do executivo lisboeta.

Foto
Medina deverá render Costa Rui Gaudêncio

O socialista António Costa renuncia esta quarta-feira, em reunião do executivo, ao mandato de presidente da Câmara de Lisboa para se dedicar em exclusivo ao PS e preparar a campanha das legislativas, que vai disputar com Pedro Passos Coelho. A notícia foi conhecida esta terça-feira, no final da reunião da Assembleia Municipal de Lisboa. O presidente da câmara usou da palavra para afirmar que esta seria "a última reunião" na qual estaria presente. "Amanhã [quarta-feira], na reunião de câmara, irei apresentar o pedido de renúncia ao mandato", informou o autarca socialista.

Costa fará uma declaração esta quarta-feira por volta do meio-dia nos Paços do Concelho. O vice-presidente e responsável pelo pelouro das Finanças, Fernando Medina, deverá ser o senhor que se segue, ocupando a cadeira de presidente da Câmara de Lisboa.

Há menos de um ano, Costa garantia que iria acumular a presidência da Câmara com a liderança do PS, mas as críticas internas e externas de que foi alvo por acumular os dois cargos levaram-no a reconsiderar a sua posição e agora vai dedicar-se apenas ao PS.

As reacções à saída do ainda presidente do executivo não se fizeram esperar. O vereador social-democrata António Prôa espera que a partir de agora a cidade “volte à normalidade”, após ter tido um "presidente a meio tempo". "Espero que Lisboa volte à normalidade e que o futuro presidente da Câmara de Lisboa dedique [ao concelho] o tempo que Lisboa merece, depois deste período em que a cidade ficou com um presidente a meio tempo", disse o autarca do PSD, citado pela Lusa.

Segundo António Prôa, o presidente "já se devia ter desvinculado das suas responsabilidades" na autarquia, por passar "mais tempo fora do que em Lisboa", devido à sua candidatura a primeiro-ministro. Este pedido – referiu ainda o vereador – deve-se ao facto de “já ser insustentável e chocante a ausência constante" face "aos problemas de Lisboa" por parte de António Costa.

Por seu lado, o líder da bancada parlamentar do PSD, Luís Montenegro, reagiu à saída de António Costa com um ataque ao ainda presidente da autarquia, acusando-o de, "uma vez mais", não levar os seus mandatos até ao fim.

Questionando pelos jornalistas à entrada de uma reunião da bancada do PSD, Montenegro disse: "Constato que mais uma vez o dr. António Costa não leva até ao fim um mandato político. É a única coisa que gostaria de dizer por enquanto".

O vereador do CDS-PP na Câmara de Lisboa João Gonçalves Pereira afirma que "há mais vida para além de Costa" no município e que a cidade viverá bem sem o actual presidente.

"Nos últimos meses tem-se notado a ausência do senhor presidente devido às suas funções de secretário-geral do PS", pelo que "há mais vida para além de Costa e Lisboa viverá bem" depois da sua saída, declarou o vereador centrista.