Robô Beagle 2, perdido em Marte, foi encontrado … 11 anos depois

No dia de Natal de 2003, este robô europeu desaparecera durante a sua descida para o planeta vermelho. Agora, a equipa do Beagle 2 encontrou-o – pousado, mas não operacional – na superfície marciana.

Beagle 2 pousou há 11 anos na superfície de Marte
Foto
Beagle 2 pousou há 11 anos na superfície de Marte HIRISE/NASA/Leicester

Uma cuidada e paciente análise de imagens do local, em Marte, onde o robô Beagle 2 deveria ter pousado, põe termo a um mistério que dura desde finais de 2003 sobre o destino daquele aparelho. E permite concluir que o problema não foi uma aterragem falhada, como se pensava até agora, mas uma falha no desdobramento dos seus painéis solares, anunciou em comunicado a Agência Espacial Europeia (ESA).

O Beagle 2 foi construído pelo Reino Unido e viajou para Marte a bordo da sonda Mars Express da ESA. Deveria ter aterrado na superfície marciana a 25 de Dezembro de 2003, mas nunca enviou notícias para a Terra. Foi dado como oficialmente perdido a 11 de Fevereiro de 2004.

Em 2005, a agência espacial norte-americana NASA lançou a sua sonda Mars Reconnaissance Orbiter. E a partir de 2006, a câmara de alta resolução a bordo deste satélite, a HiRISE, começou a fotografar a superfície de Marte. São essas fotos que a equipa do Beagle 2, em colaboração com a NASA, tem estado a analisar há anos, numa procura que culminou agora com a descoberta do robô desaparecido.

As pequenas dimensões do robô – menos de dois metros de envergadura com os seus painéis solares abertos – poderiam ter comprometido a sua detecção, tanto mais quanto o Beagle 2 se encontra "numa configuração [só] parcialmente desdobrada”, lê-se num comunicado a Universidade de Leicester (Reino Unido), cujos cientistas participaram na sua construção. Mas mesmo no limite do seu poder de resolução, a HiRISE permitiu identificar imagens de um objecto “compatíveis com o tamanho e a forma do robô" a menos de cinco quilómetros do centro da zona de aterragem prevista. 

O problema com os painéis solares, refere ainda o documento, “pode explicar por que nunca foram captados quaisquer sinais ou dados vindos do robô, na medida em que teria sido preciso que os painéis solares estivessem totalmente abertos para que a antena do robô ficasse exposta e fosse capaz de transmitir e receber dados”.

Para os envolvidos, a descoberta do Beagle 2 prova que o robô conseguiu efectivamente pousar em Marte. “Beagle 2 foi mais bem sucedido do que pensávamos", diz  David Parker, da agência espacial britânica, citado no mesmo documento.

“Fico encantado por termos finalmente encontrado o Beagle 2 em Marte”, diz Mark Sims, da mesma universidade britânica, que participou no projecto desde o início. “Desde 2003 que, todos os Natais, eu me perguntava o que teria acontecido. O meu Natal de 2003 e o de muitos outros que trabalhavam no Beagle 2 foi estragado pela desilusão perante o silêncio do robô. E, para ser sincero, já tinha desistido de algum dia o vir a saber.” O líder do projecto, Collin Pillinger, da Universidade Aberta britânica, morreu em Maio de 2014.
 

   

Sugerir correcção