Greve de 24 horas pára metro de Lisboa

Carris reforça carreiras de autocarros entre as 6h30 e as 20h30 desta quinta-feira.

Foto
Esta paralisação de 24 horas deve produzir efeitos até às 00h15 de sexta-feira Tiago Machado

O Metropolitano de Lisboa deverá voltar a parar durante todo o dia desta quinta-feira, devido a uma greve dos seus trabalhadores. Segundo a empresa, os efeitos desta paralisação ter-se-ão feito sentir já a partir das 23h de ontem.

Depois de no passado dia 10 de Setembro os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa terem realizado uma greve parcial de cinco horas, várias organizações sindicais convocaram uma nova greve para dia 25 de Setembro, desta vez de 24 horas.

De acordo com informações divulgadas na página da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) na Internet, com estas lutas “os trabalhadores exigem a manutenção da componente social do serviço prestado pela empresa” e “o cumprimento integral do Acordo de Empresa e o fim dos roubos nos salários e nas reformas”. 

As exigências na base destas paralisações incluem ainda “a reposição do quadro de trabalhos, necessários para a reposição de um serviço com maior qualidade e segurança” e um “investimento que permita a reposição de um serviço com a qualidade e segurança que os utentes têm direito”. 

Já o Metropolitano de Lisboa faz saber que devido a esta greve “prevê-se a paralisação do serviço de transporte entre as 23h do dia 24 de Setembro e as 00h15 do dia 26 de Setembro, não tendo o Tribunal Arbitral fixado serviços mínimos para esta greve”.

A empresa acrescenta que “a Carris efectuará um reforço de algumas das suas carreiras de autocarros coincidentes com os eixos servidos pelo metro, designadamente das carreiras 726 [Sapadores – Pontinha Centro], 736 [Cais do Sodré – Odivelas], 744 [Marquês de Pombal – Moscavide] e 746 [Marquês de Pombal – Estação da Damaia]”. Na sua página na Internet, o Metropolitano de Lisboa salienta que “este reforço será efectuado através da colocação em serviço de um número suplementar de autocarros, pelo que não será afectado o normal funcionamento do serviço da Carris”.

Segundo um comunicado enviado entretanto à comunicação social, o reforço daquelas carreiras de autocarros ocorrerá “entre as 6h30 e as 20h30 de dia 25 de Setembro”.

“O Conselho de Administração lamenta profundamente todas as perturbações causadas pelos sindicatos aos clientes e à cidade e prosseguirá com determinação os eu propósito de assegurar a sustentabilidade e o futuro do Metropolitano de Lisboa por forma a servir, cada vez melhor, as necessidades de mobilidade de Lisboa”, conclui-se nessa nota.