Apple ofereceu álbum dos U2 a todos os utilizadores do iTunes e isso está a ser irritante

Sem consultar o utilizador, a empresa colocou nos aparelhos da marca o último trabalho da banda.

Os U2 no dia do anúncio que o seu álbum ia estar gratuito durante um mês no iTunes
Foto
Os U2 no dia do anúncio que o seu álbum ia estar gratuito durante um mês no iTunes Justin Sullivan/Getty Images/AFP

A Apple ofereceu um extra no dia a apresentação dos novos iPhones e Apple Watch: uma actuação dos U2. Depois de a banda ter tocado um tema do novo álbum, Songs of Innocence, a Apple anunciou outro extra. Os doze temas do novo trabalho da banda de Bono Vox podem ser descarregados do iTunes, de forma gratuita, durante um mês. Para os fãs dos U2, a “prenda” terá sido recebida com entusiasmo, mas para quem não tem a banda entre as suas preferências musicais a oferta não podia ser pior. O álbum está nos aparelhos de todos os que tenham uma conta no iTunes. A Apple não quis saber de gostos musicais.

Se consultar a lista de álbuns na sua conta de iTunes, e tiver a opção de download automático activada, tem desde há um dia Songs of Innocence disponível para ouvir, sem que tenha feito qualquer aprovação. E como é que foi parar ao seu smartphone, tablet ou computador, ou qualquer equipamento com a aplicação iOS Music? A Apple decidiu por si que a música dos U2 deve estar entre os álbuns que deve ouvir, quer goste ou não. E esta está a ser a realidade para utilizadores do iTunes em 119 países, num total aproximado de 500 milhões de pessoas. Para os que não tenham a opção e download automático activada, o álbum também lá está mas à espera de ser descarregado.

Apesar de o álbum não estar disponível até ser descarregado, o facto de aparecer na lista pessoal de cada utilizador está a ser fortemente criticado nas redes sociais. A maioria dos utilizadores insatisfeitos questionam porque a Apple não se limitou a criar uma página na loja do iTunes para o álbum dos U2, gratuito, e deixar para cada um a opção de descarregá-lo ou não.

A Apple não esclareceu, até ao momento, porque decidiu agir desta forma. É conhecida a relação próxima entre a marca e a banda irlandesa, iniciada há uma década quando a Apple apresentou um iPod inspirado nos U2, mas o porquê da actuação no dia da apresentação dos iPhones 6 e 6 Plus e a oferta do álbum está a suscitar algumas dúvidas.

Sabe-se agora que a Apple pagou uma quantia não revelada para ter os direitos de divulgação do trabalho dos U2 em primeira mão e que o tema que a banda tocou no evento da marca na terça-feira, The Miracle (Of Joey Ramone), vai ser usado para promover produtos da marca, como o iPhone 6. Na apresentação da Apple, Bono Vox já tinha admitido, em tom de brincadeira, que a banda tinha sido paga. “Não acredito na música gratuita. A música é um sacramento”.

Mesmo assim, o que é que a Apple ganha com esta parceria? O Business Insider avança com uma teoria. “Quanto mais pessoas a Apple conseguir levar para o sistema iTunes, mais números de cartões de crédito consegue recolher. E quanto mais números de cartão de crédito tem, mais atraente se torna para os utilizadores o novo sistema de pagamento móvel da Apple, o Apple Pay”, escreve o jornal. O Apple Play torna os novos aparelhos da marca norte-americana autênticas carteiras móveis.

A agência noticiosa Bloomberg estima, por sua vez, que o Apple Pay vai permitir à empresa entrar num mercado avaliado em 40 mil milhões de dólares. A agência, que cita uma fonte que pediu o anonimato, indica que com base em acordos alcançados com bancos individualmente, a Apple irá beneficiar de uma comissão sobre cada transacção. “Enquanto isso dá à empresa de tecnologia uma parte dos mais de 40 mil milhões de dólares que os bancos geram anualmente a partir da percentagem que retiram dos retalhistas sempre que um cartão de crédito é usado numa compra, os credores esperam ter benefícios quando os consumidores gastam mais dinheiro através de telefones móveis e outros dispositivos digitais”, escreve a Bloomberg, citando a mesma fonte.

Outra possibilidade é o dinheiro que pode vir a entrar no iTunes Match, aparentemente uma das poucas formas para se conseguir apagar o álbum dos U2. O trabalho da banda foi distribuído como um produto disponível no iTunes, ou seja, está localizado nas contas de iCloud dos utilizadores. A única forma de apagar música do iCloud é subscrever o serviço iTunes Match, que armazena a música dos subscritores do iTunes no iCloud e a sintoniza automaticamente com os aparelhos da Apple que o utilizador tenha. Manter o iTunes Match custa uma média de 25 dólares por ano.

Perante as questões que estão a surgir nas redes sociais sobre como se pode apagar o álbum dos U2, os sites de notícias de tecnologia estão a indicar passos possíveis. À semelhança da maioria dos sites, o Business Insider, por exemplo, propõe uma série de etapas a seguir.

Primeiro, para se ter o álbum dos U2 na conta no iTunes ou o utilizador activou o iTunes Match ou accionou nas definições as opções Todas as Músicas. Não é possível apagar completamente o álbum do aparelho do utilizador, já que este vai permanece na conta no iCloud. É possível escondê-lo no iTunes mas ele vai permanecer na conta no iCloud. Num computador abre-se o iTunes e acede-se à iTunes Store. Aí, clica-se em Compra, onde estarão as aquisições que o utilizador fez até aí. Nessa lista seleccionar o álbum dos U2 e clicar no canto superior esquerdo do álbum e clicar em X, o que irá escondê-lo.

Notícia alterada às 11h04 de 12 de Setembro de 2014: Alteras sugestões para apagar álbum dos iPhones e iPads.