Pasolini e José Álvaro Morais entre o Porto e Foz Coa na 4ª edição do Cinecoa

Festival de cinema apresenta ainda um concerto de Pedro Burmester, uma homenagem a Eusébio e uma nova média-metragem de João Botelho

Foto
Teorema de Pier Paolo Pasolini

É já na próxima semana que tem lugar a quarta edição do Cinecoa – Festival Internacional de Cinema de Foz Coa, a decorrer entre o Porto e Vila Nova de Foz Coa entre 10 e 14 de Setembro, acompanhada por duas exposições que se prolongarão até Outubro. Pier Paolo Pasolini e José Álvaro Morais são os nomes centrais da programação de 2014, acompanhados por um mini-ciclo de filmes sobre futebol em homenagem ao futebolista Eusébio, falecido em Janeiro último, e pela ante-estreia da média-metragem de João Botelho, A Arte da Luz Tem 20.000 Anos.

Com o apoio do arquivo do cineasta em posse da Cineteca Communale de Bolonha, Pasolini será recordado através de uma exposição e de um pequeno ciclo com uma dezena de filmes a decorrer no Porto, sob o genérico As Cinzas de Pasolini. Inaugurada a 10 de Setembro com a projecção de três curtas-metragens do cineasta, a exposição de fotografia estará patente na Galeria Municipal Almeida Garrett até 9 de Outubro.

Dela fazem parte fotografias tiradas por Angelo Novi durante a rodagem de O Evangelho Segundo Mateus e imagens que Antonio Masotti registou em 1975 numa performance na qual o filme foi projectado por Fabio Mauri sobre o próprio corpo de Pasolini, poucos meses antes da trágica morte do realizador. 

O Evangelho é igualmente, a par de Teorema, Édipo Rei, As Mil e Uma Noites ou Salò ou os 120 Dias de Sodoma, um dos filmes apresentados (em cópia de 35mm) no ciclo, que decorrerá de 11 a 14 de Setembro no teatro Rivoli. Pasolini será também o “tema” do encerramento oficial do certame a 14 de Setembro, no Auditório Municipal de Foz Coa, com um concerto do pianista Pedro Burmester, interpretando peças de Johann Sebastian Bach ilustradas por imagens de filmes do cineasta italiano.

A curta obra do cineasta português José Álvaro Morais, falecido em 2004, será o alvo da outra vertente do Cinecoa 2014, a decorrer no Auditório Municipal da cidade, com a projecção entre 11 e 13 de Setembro da integral das suas longas-metragens (o documentário Ma Femme Chamada Bicho e as ficções O Bobo, Peixe-Lua e Quaresma), com a presença dos actores Paulo Pires e Marcello Urgeghe. Em paralelo, o Centro Cultural de Foz Coa propõe uma exposição sobre Eusébio, acompanhada pela projecção, na Praça do Município, de três filmes sobre futebol, entre os quais Eusébio – O Pantera Negra.

Finalmente, uma palavra ainda para a ante-estreia, em “fim de festa” a 14 de Setembro em Foz Coa, de A Arte da Luz Tem 20.000 Anos, média-metragem (55 minutos) encomendada a João Botelho e que o realizador define como uma homenagem à “maior concentração da grande 'Arte da Luz' que no mundo aconteceu”.