Bill Gates deixa de ser o principal accionista da Microsoft

Fundador do grupo continua a desfazer-se das suas participações. Maior accionista individual é agora Steve Ballmer.

Foto
Gate detém agora 4% da Microsoft, e Ballmer é dono de 4,03%. Robert Sorbo/Reuters

Bill Gates, o fundador da Microsoft, deixou de ser o principal accionista individual do grupo norte-americano, lugar que agora é ocupado por Steve Ballmer, antigo presidente executivo do grupo.

De acordo com um comunicado publicado  no site do regulador de mercado de capitais dos Estados Unidos, Bill Gates vendeu 4,6 milhões de acções, reduzindo a sua participação para 330,14 milhões de títulos. Steve Ballmer é agora o principal accionista individual da Microsoft, onde detém 333,25 milhões de títulos.

O fundador da empresa fica com 4% do capital do grupo, enquanto Ballmer detém 4,03% das acções.

Steve Ballmer reformou-se em Fevereiro, mas manteve a sua carteira de acções. Para o seu lugar na presidência do conselho de administração foi nomeado Satya Nadella, que actualmente dirige o grupo.

Bill Gates, que fundou a empresa em 1975 com um antigo colega de escolar Paul Allen, já vendeu 20 milhões de acções por trimestre ao longo dos últimos 12 anos, de acordo com um plano que tinha previamente definido. Se a alienação de acções se mantiver a este ritmo, Gates deixará de ter qualquer participação no grupo em 2018, nota a Reuters.

Depois de 30 anos à frente da Microsoft, Gates anunciou, em meados de 2008, que cessaria qualquer função executiva no grupo, ao qual passaria a dedicar “um terço do  seu tempo” como conselheiro tecnológico. Cada vez mais, aquele que aparece na lista da Forbes como um dos homens mais ricos do mundo tem-se dedicado à filantropia, tendo, em 2000, criado com a sua mulher a fundação Bill & Melinda Gates.