Venda de tablets em Portugal cresceu 91%

IDC prevê que procura abrande, mas aponta para um crescimento de dois dígitos nos próximos três anos.

Um tablet a ser usado numa escola em Portugal
Foto
Um tablet a ser usado numa escola em Portugal Daniel Rocha

O envio de tablets para o retalho em Portugal rondou em 2013 as 700 mil unidades, de acordo com a analista IDC. O valor representa um crescimento de 90,9% em relação a 2012.

Segundo uma nota da analista, divulgada nesta segunda-feira, o crescimento da procura de tablets vai abrandar, mas “deverá manter-se em dois dígitos nos próximos três anos”. A IDC prevê ainda que a adopção destes aparelhos por parte de empresas “vai conferir um novo fôlego [às vendas] no segundo semestre e seguintes”.

"A adopção acelerada de tablets tem tido um impacto significativo no modo como consumidores e organizações utilizam os seus equipamentos computacionais. As fronteiras entre o espaço privado e profissional têm vindo a esbater-se e os novos equipamentos suportam uma crescente versatilidade, abrem novos cenários de utilização e novas oportunidades de crescimento para a indústria", afirmou o director-geral da IDC Portugal, Gabriel Coimbra.

Já o mercado de PC, que tem vindo a contrair-se significativamente, caiu 2% no último trimestre de 2013, com a queda do lado dos consumidores a não ser compensada pelo aumento de 13,4% no mercado empresarial.

Em termos de unidades, os smartphones são, entre os aparelhos com capacidade de ligação à Internet (aquilo a que a IDC chama “equipamentos inteligentes conectados”), os que mais vendem: no mercado português, foram postos à venda 4,12 milhões de aparelhos, dos quais mais 600 mil só no último trimestre. O ano passado foi aquele em que, tanto em Portugal como no resto do mundo, os smartphones ultrapassaram os telemóveis convencionais. Face a 2012, os smartphones cresceram 20,6%.

O líder do mercado dos tablets é a Samsung. Seguem-se a Apple, a Acer, a Asus e a espanhola bq. Nos computadores, o primeiro lugar voltou para a HP, que é seguida pela Asus, Toshiba, Acer e Samsung. Nos smartphones, a líder é novamente a sul-coreana Samsung, à frente da LG, Apple e Sony.

Somando todos os tipos de aparelhos, a Samsung surge na dianteira, com uma quota de mercado de 20,9% no quarto trimestre do ano passado, muito abaixo da fatia de 30,2% que tinha no ano anterior. A Apple tem uma quota de mercado de 12,9% e a Asus de 10%. Em quarto lugar está a LG (com 7,6%) e, em quinto, a TMN, cujos equipamentos de marca própria representaram 6,2% do total.