Deputados do BE abandonam debate em protesto com Passos

Assunção Esteves recusou o pedido dos bloquistas para a realização de uma conferência de líderes extraordinária.

Foto
Passos Coelho recusou responder à lider do BE depois de Catarina Martins ter dito que a palavra do primeiro-ministro não vale nada Nuno Ferreira Santos

Os deputados do Bloco de Esquerda abandonaram o plenário onde decorre o debate com o primeiro-ministro desta quarta-feira, depois de Passos Coelho se ter recusado a responder a uma interpelação de Catarina Martins.

À saída do plenário, Pedro Filipe Soares, líder da bancada bloquista, confirmou aos jornalistas ter solicitado à Presidente da Assembleia da República uma conferência de líderes extraordinária sobre este incidente. Assunção Esteves recusou entretanto a iniciativa. com o argumento de que teria apenas "uma dimensão ruidosa", não trazendo "consequências regimentais".

No início do frente-a-frente, a coordenadora bloquista Catarina Martins começou por dizer que o debate político tem sido marcado pelo valor da palavra. E confrontou o primeiro-ministro com o anúncio da criação de um grupo de trabalho sobre natalidade quando há meses que o PSD apresentou no Parlamento (e pediu para adiar a votação) um conjunto de propostas nessa área.

Depois, a bloquista questionou o primeiro-ministro sobre o carácter transitório ou definitivo dos cortes. "É a 15 de Abril que vamos ficar a conhecer a pancada", perguntou a deputada, referindo-se ao Documento de Estratégia Orçamental em que estarão as "linhas de força" orçamentais. Passos Coelho disse não ter "mais nada" a dizer à deputada. Catarina Martins, como ainda dispunha de tempo, volta a tomar a palavra.

A Presidente da Assembleia passa ao grupo parlamentar seguinte que estava previsto intervir, mas os deputados do BE querem saber se Passos não vai responder. O primeiro-ministro não abre o microfone e confirma que não tem mais nada a acrescentar. Ouve-se pateada na bancada dos bloquistas e de alguns socialistas. Alguns deputados do PS abandonam a sala, o mesmo acabam por fazer todos os parlamentares do BE.