Líder parlamentar do PSD defende reflexão sobre honras de Panteão Nacional

Ideia de trasladar Eusébio e Salgueiro Maia levanta discussão sobre regras e processo de trasladação.

Luis Montenegro garantiu que o PSD vai nomear os seus deputados
Foto
Montenegro foi dos principais entusiastas de um inquérito à CGD Rui Gaudêncio

O presidente do grupo parlamentar do PSD defendeu esta quinta-feira uma reflexão do Parlamento sobre os processos de concessão de honras de Panteão Nacional, advertindo que é necessário consensualizar um procedimento para não descredibilizar este instituto.

"Creio que tem de se fazer uma reflexão interna no Parlamento e teremos de consensualizar um procedimento para avaliar este tipo de processos e sugestões de maneira a não descredibilizar o instituto que está aqui subjacente de atribuir a concessão de honras de Panteão Nacional a personalidades relevantes da nossa vida coletiva", afirmou o líder parlamentar social-democrata, Luís Montenegro, em declarações aos jornalistas à saída da reunião da bancada.

Escusando-se a emitir uma opinião sobre a proposta deixada na terça-feira pelo socialista Manuel Alegre para a aprovação da trasladação do corpo do capitão de Abril Salgueiro Maia para o Panteão Nacional, no âmbito do 40.º aniversário do 25 de Abril, Luís Montenegro insistiu na necessidade de consensualizar "um procedimento que não faça desenvolver no país uma tentação de poder agora a cada semana ou a cada mês haver uma proposta para uma trasladação para o panteão nacional".

Contudo, acrescentou, este seu apelo não significa desrespeito pela proposta de Manuel Alegre. Significa, vincou, que "nas últimas três ou quatro semanas" já se vai na terceira proposta que é feita sobre esse assunto e não parece "credível e prestigiante" discutir-se na praça pública estas questões da forma como está a ser feita.

Este discurso da necessidade de reflexão sobre o que se pretende para o Panteão Nacional começa a fazer escola. O ex-Presidente da República Jorge Sampaio manifestou-se hoje também cauteloso, rejeitando processos decididos "a quente". "Tem que se discutir quem é deve afinal ir para o Panteão, em que condições, de que maneira. Devemos discutir isso com serenidade", considera o antigo chefe de Estado, justificando que essa é a melhor forma de "valorizar o Panteão Nacional".

Mas Sampaio veio juntar-se às vozes de Mário Soares e de Freitas do Amaral que hoje consideraram que Salgueiro Maia merece um lugar no monumento que homenageia figuras de proa do país. "Salgueiro Maia é um herói, sem dúvida", afirmou Jorge Sampaio.

Mário Soares diz que o capitão de Abril "merece absolutamente" a homenagem. "Foi um homem do 25 de Abril e eu sou pró-25 de Abril", vincou. Freitas do Amaral diz que "sem qualquer dúvida" lhe "parece bem" a trasladação.

Na quarta-feira o líder parlamentar do PS disse que "o 25 de Abril merece honras do Panteão Nacional" e Salgueiro Maia será "uma das opções naturais para essa designação". A mesma opinião foi partilhada pela bloquista Cecília Honório mas que fez questão de realçar precisamente que é necessária alguma ponderação sobre o que se pretende para o Panteão. Já o PCP disse não ter opinião formada sobre o assunto. De um modo geral, os vários grupos parlamentares não se querem comprometer sobre o assunto.