Rapaz que empunhava réplica de espingarda morto pela polícia na Califórnia

Caso ocorreu um dia depois de, no estado de Nevada, um rapaz de 12 anos ter matado a tiro o professor de matemática e ferido dois colegas, antes de pôr termo à vida.

Foto
Réplica empunhada pelo adolescente morto pela polícia Reuters

Andy foi declarado morto no local do incidente, que ocorreu na terça-feira e está sob investigação. O pai disse que a arma pertencia a um amigo. O gabinete do xerife do condado de Sonoma informou que trazia também na cintura uma arma de plástico.

Linsey Gannon, responsável da escola em que o adolescente estudava, a Lawrence Cook Middle School, descreveu-o como “um aluno muito querido, muito popular, muito bonito, muito inteligente e capaz”. Andy toca trompete na banda da escola.

Um comunicado do gabinete do xerife do condado de Sonoma indica que dois ajudantes do xerife viram o rapaz com que lhes pareceu ser uma arma verdadeira, pediram apoio e ordenaram-lhe que largasse a arma, antes de dispararem várias vezes sobre ele. Uma testemunha citada por jornal local, o Santa Rosa Press Democrat, disse ter ouvido sete tiros.

O xerife, Steve Freitas, descreveu o caso como uma “tragédia” e prometeu uma investigação séria e transparente. "Como pai de dois rapazes da mesma idade, não posso imaginar a dor que a família está a passar", disse, segundo uma citação da BBC. Outro responsável policial explicou que os ajudantes do xerife foram dispensados do trabalho durante o período em que decorrer a investigação.

A réplica que o rapaz empunhava quando foi abatido é, segundo especialista, semelhante a uma espingarda automática do tipo AK-47.

O caso da Califórnia ocorreu um dia depois de, na segunda-feira, em Sparks, estado de Nevada, um rapaz de 12 anos que não foi identificado, ter matado a tiro o professor de matemática e ferido dois colegas, antes de pôr termo à vida, no campo de basquetebol da escola. O professor era uma veterano do Afeganistão, Michael Landsberry, 45 anos, que tentou convencer o atirador a largar arma, permitindo a outros alunos fugirem.

A sucessão de massacres em locais públicos, incluindo escolas, levou o Presidente Obama a apresentar um projecto de lei de controlo de armas que tem fortes opositores nos Estados Unidos.

Um caso de natureza diferente mas protagonizado também por um adolescente ocorreu esta semana no estado de Massachusetts. Uma jovem, Colleen Ritzer, 24 anos, professora de Matemática na Danvers High School , foi encontrada morta, na quarta-feira.

Colleen não voltou para casa depois de uma aula nem atendia o telemóvel e foi dada como desaparecida, na terça-feira. Paralelamente, a polícia tinha lançado um alerta, relatando o desaparecimento de um adolescente de 14 anos, aluno da mesma instituição. As investigações policiais acabaram por levar à detenção de Philip Chism, 14 anos, encontrado quando caminhava numa estrada na direcção norte. O rapaz é acusado de perseguir, agredir e assassinar a professora.