Abreu Amorim admitiu falta de habilidade para unir os gaienses

Foto
Carlos Abreu amorim vai refletir e pode até deixar a política, para regressar à universidade Manuel Roberto

O social-democrata agradeceu a todos quantos se envolveram na candidatura do PSD/CDS e assumiu, pessoalmente, a derrota: “Assumo claramente toda a responsabilidade por este resultado eleitoral. Fui escolhido pessoalmente por Luís Filipe Menezes, mas não tive capacidade para mostrar aos gaienses que havia essa lógica de continuidade”, declarou o social-democrata.

Carlos Abreu Amorim disse também que “não teve o talento e habilidades necessárias para unir todos os gaienses” e que o projecto protagonizado por todos que se envolveram na sua candidatura “deve continuar”: “Pode ter futuro nas próximas eleições e a preparação deve começar já amanhã”, enfatizou. Recusou que haja quaisquer “leituras nacionais dos resultados” de Gaia e sublinhou que interpretá-los como uma crítica ao Governo seria até “insultar os gaienses”.

Na hora da derrota, Carlos Abreu Amorim anunciou que não ocupará um lugar na vereação e até admitiu retirar-se da vida política: “Candidatei-me a presidente de câmara, não faz sentido que aquele que  deu a cara por um projecto que foi rejeitado nas urnas ocupe um lugar de vereador. A grande reflexão que vou fazer é se regresso à Assembleia da República ou à vida universitária”.

Sugerir correcção
Comentar