América continua de luto pelos "futuros roubados" no 11 de Setembro

Familiares das vítimas mortais reuniram-se em Nova Iorque, na Virginia e na Pensilvânia. Barack Obama cumpriu momento silêncio na Casa Branca e discursou no Pentágono.

Foto
Morreram 2996 nos ataques de 11 de Setembro de 2001 Stan Honda/Reuters

Doze anos depois dos atentados de 11 de Setembro de 2001, "os corações continuam a sofrer pelos futuros roubados, pelas vidas que podiam ter sido", disse nesta quarta-feira o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, numa cerimónia no Pentágono.

Num discurso que arrancou às 9h37 – a hora exacta em que o Pentágono foi atacado –, Barack Obama pediu aos cidadãos dos EUA que "honrem a grandeza de todos os que ajudaram e que apoiem os que continuam em processo de luto", numa referência aos familiares das 2996 pessoas que morreram nos ataques contra o World Trade Center e contra o Pentágono e na queda do voo 93 da United Airlines perto de Shanksville, na Pensilvânia.

"Rezamos pela memória de todos os que nos foram tirados, quase 3000 almas inocentes. Os nossos corações continuam a sofrer pelos futuros roubados, pelas vidas que podiam ter sido, pelos pais que iriam sentir a felicidade de serem avós, pelos pais e pelas mães que iriam sentir o orgulho de ver um filho formado, pelos filhos e pelas filhas que iriam crescer", disse Obama, ao lado do secretário da Defesa, Chuck Hegel, e do chefe das Forças Armadas, o general Martin E. Dempsey.

Uma hora antes, Barack e Michelle Obama juntaram-se a Joe e Jill Biden para um momento de silêncio nos jardins da Casa Branca, em memória das vítimas. A cerimónia começou às 8h46, a hora do primeiro ataque contra o World Trade Center.

Pela manhã, familiares das quase 3000 pessoas mortas nos ataques do 11 de Setembro juntaram-se em cerimónias em Nova Iorque – onde morreu a maioria das vítimas mortais –, mas também nos estados da Pensilvânia e da Virginia.

Junto ao local onde antes se erguiam as torres gémeas, também os familiares presentes na cerimónia guardaram um primeiro momento de silêncio às 8h46, que interrompeu a leitura dos nomes das vítimas mortais.

Ao todo, foram seis os momentos de silêncio – nas horas exactas dos ataques ao World Trade Center; da queda das torres gémeas; do ataque contra o Pentágono; e da queda do voo 93 da United Airlines.