Comissões de manutenção de conta aumentaram 23% em cinco anos

Dados dos Banco de Portugal, em resposta a um requerimento do grupo parlamentar do CDS/PP

O Banco de Portugal revelou esta quarta-feira que as comissões que os bancos cobram pela manutenção de contas aos clientes aumentaram 23% nos últimos cinco anos, ou seja, a um ritmo médio anual de 4,7%.

A entidade supervisora revelou estes dados, depois de a associação de defesa do consumidor Deco ter publicitado um estudo em que acusava a banca de feito crescer as suas comissões em cerca de 41% entre 2007 e 2013. Isto para o caso de um cliente com um saldo médio de 250 euros.

Na sequência deste trabalho, os deputados do grupo parlamentar do CDS/PP questionaram o Banco de Portugal para aferir da veracidade dos dados da Deco e a entidade liderada por Carlos Costa respondeu com um documento de que fez divulgação pública nesta sexta-feira.

A entidade supervisora pronuncia-se apenas sobre o andamento das comissões a partir de 2008, porque foi este o ano em que lhe foram "legalmente atribuidas competências de supervisão comportamental" que lhe permitem "analisar a evolução das referidas comissões".

O banco central refere que para um saldo médio de 250 euros, a média das comissões por manjutenção de conta era, em 2008, de 40,46 euros, correspondendo esse valor, em 2013, a 49,86 euros, ou seja, um aumento de 23% no período.

A instituição ressalva que se trata, porém, dos montantes máximos previstos nos preçários, "podendo as instituições de crédito praticar valores inferiores aos aí indicados."