Encargos com juros aumentaram 11,8% em Maio

Receita fiscal cresceu 8%, para 14.660 milhões de euros.

Foto
A queda nas receitas fiscais tem contribuído negativamente para o défice Luís Efigénio

O investimento voltou a recuar, para 659 milhões de euros, em comparação com os 856 apurados no mesmo período do ano passado, e as transferências aumentaram 12,1%, para 10.607 milhões de euros.

Do lado da receita consolidada da administração central, regista-se um aumento de 6,5% nos primeiro cinco meses do ano, para 20.371 milhões de euros, segundo a Síntese de Execução Orçamental divulgada esta terça-feira pela Direcção-Geral do Orçamento (DGO). O valor apurado supera, em mais de 1200 milhões de euros, o que tinha sido apurado para o período homólogo de 2012.

O principal motivo para esta evolução vem da receita fiscal, que cresceu 8% no período, para 14.660 milhões de euros. Mas há diferenças nos contributos dos diversos impostos. Os impostos directos conheceram um aumento de 21,8%, mas os indirectos, onde se incluiu o IVA, recuaram 0,7%. As contribuições para a Caixa Geral de Aposentações e para a ADSE também tiveram um aumento de 20%.

A receita não-fiscal caiu 4% face ao período homólogo, apesar de um aumento substancial dos rendimentos da propriedade. Esta evolução não compensou os recuos significativos das taxas, multas e outras penalidades e das transferências da União Europeia (-18,9%).