Governo afirma total disponibilidade para novas reuniões com PS

Executivo manifestou abertura para "promover consenso num alargado leque de matérias".

Foto
Enric Vives-Rubio

Mesmo depois de ouvir o líder do PS dizer que "não houve nada de novo" nas reuniões com a troika e o primeiro-ministro, o Governo afirma que está disponível para o diálogo com o PS.

"O Governo manifestou e manifesta toda a disponibilidade para novas reuniões, em formatos e metodologias a definir em acordo com o PS", afirmou ao PÚBLICO fonte governamental. E essa abertura, acrescenta a mesma fonte, é com vista a "promover um consenso num alargado leque de matérias no quadro do respeito das obrigações internacionais".

Foi já essa disponibilidade que a embaixada governamental – composta pelo primeiro-ministro, ministro de Estado e das Finanças, ministro adjunto e ministro do Trabalho e da Solidariedade – transmitiram ao secretário-geral do PS na reunião desta quarta-feira de manhã.

Ao que o PÚBLICO apurou, nesse encontro foi manifestada a abertura do Governo para incluir o PS tanto nos esforços de consolidação orçamental como no desenho da agenda de dinamização da economia que o executivo quer lançar. Nesse sentido, foi mesmo proposta a participação de personalidades do PS para ajudar a trabalhar a nova agenda, em formato a definir entre os dois partidos. 

No fundo, afirmou ao PÚBLICO fonte governamental, o grande objectivo é dar um sinal contra a radicalização dos discursos de ambas as partes. No essencial, o Governo procura, acima de tudo, garantir o acordo com o PS nas grandes questões ao nível da política europeia e da moeda única, temas sobre os quais os dois partidos sempre se entenderam. 
 

Sugerir correcção