Mestrado falso obriga presidente do Eurogrupo a corrigir currículo

Denúncia do Sunday Independent obriga ministro das Finanças holandês a alterar currículo.

Jeroen Dijsselbloem é um dos nomes avançados para próximo líder do Eurogrupo, a par de Moscovici, ministro das Finanças francês
Foto
Jeroen Dijsselblo, presidente do Eurogrupo.

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, acaba de retirar do currículo um mestrado em Economia Empresarial, pela University College Cork (UCC), que nunca existiu naquela instituição.

O ministro das Finanças retirou a referência ao mestrado, substituindo-a pela realização de uma "investigação em Economia Empresarial com vista à obtenção de um mestrado na University College Cork".

A correcção do currículo que existia em vários sites oficiais, incluindo no do Eurogrupo, acontece depois da denúncia do Sunday Independent.

O jornal inglês, citando fonte da referida universidade, garantia que o mestrado referido no currículo de Jeroen Dijsselbloem “não existia”.

De acordo com a mesma fonte, o presidente do Eurogrupo esteve alguns meses na University College Cork a realizar uma investigação sobre economia agrícola.

O Ministério holandês das Finanças assumiu o erro, alegando que se ficou a dever a “uma fonte de informação incorrecta”.