Prémio Abel atribuído ao matemático belga Pierre Deligne

O galardão é considerado, juntamente com a Medalha Fields, como um dos Nobel da matemática.

Pierre Deligne, em 2005, em Princeton
Foto
Pierre Deligne, em 2005, em Princeton Wikimedia Commons

A Academia Norueguesa das Ciência e Letras decidiu atribuir o Prémio Abel 2013 a Pierre Deligne, do Instituto de Estudos Avançados de Princeton (EUA), “pelos seus contributos pioneiros para a geometria algébrica e pelo impacto transformador desses contributos na teoria dos números, na teoria da representação e áreas relacionadas”, anunciou o Comité Abel em comunicado.

Deligne, nascido em 1944 em Bruxelas (Bélgica), radicou-se nos EUA em 1984, tendo até lá trabalhado no Instituto de Altos Estudos Científicos (IHES), perto de Paris. 

Deligne tornou-se célebre muito jovem, explica ainda o comunicado, com a sua brilhante demonstração da “última e mais profunda” das chamadas “conjecturas de Weil”, o que lhe valeu a célebre Medalha Fields, da União Matemática Internacional (em 1978), e o Prémio Crafoord, da Real Academia Sueca das Ciências (em 1988). Partilhou este segundo prémio com o matemático franco-alemão Alexandre Grothendieck (n.1928), figura central no desenvolvimento da geometria algébrica, com quem fizera o doutoramento e trabalhara no IHES.

A geometria algébrica tem hoje aplicações em áreas tão diversas como a estatística, a biologia ou a robótica.

“Os poderosos conceitos, ideias, resultados e métodos de Deligne continuam a influenciar o desenvolvimento da geometria algébrica, bem como de toda a matemática”, lê-se ainda no comunicado do comité.

O prémio, no montante de 750 mil euros, ser-lhe-á entregue a 21 de Maio durante uma cerimónia em Oslo. Foi criado em 2002 e atribuído pela primeira vez em 2003.