Cavaco Silva elogia "economia pós-troika" com alertas para a quebra no consumo

Presidente da República afirmou que os jovens empreendedores "da economia pós-troika" podem ser o motor da mudança, mas alerta para quebra drástica no poder de compra privado.

Cavaco Silva sublinhou que apenas o sector privado pode promover as alavancas do crescimento
Foto
Cavaco Silva sublinhou que apenas o sector privado pode promover as alavancas do crescimento Luís Ramos

Cavaco Silva afirmou nesta segunda-feira que as alavancas económicas para o crescimento nacional só surtem efeito quando acompanhadas por uma “redução menos drástica do consumo privado”.

No Palácio de Belém, na recepção a 50 jovens empresários que o Presidente da República disse serem “os empresários da economia pós-troika”, Cavaco Silva afirmou que “as alavancas disponíveis para provocar o crescimento económico são o investimento nacional e estrangeiro, as exportações, turismo; acompanhados de uma redução menos drástica do consumo privado”.

“Portugal atravessa um dos tempos mais severos da nossa história mais recente e o grande desafio que a todos nós se coloca é o de como provocar crescimento económico sustentado em investimento competitivo, gerador das receitas externas e gerador de emprego”, defendeu o Presidente da República, citado pela Lusa.

Nesse sentido, e colocando a tónica no empreendedorismo empresarial, “só as empresas privadas podem manejar estas alavancas”, disse Cavaco Silva.

“Esta geração pode, de facto, ser o motor da mudança da economia portuguesa”, disse o Presidente da República, na recepção ao encontro de jovens empreendedores que durará até ao fim do dia no Palácio de Belém.