Governo reestrutura Porto de Lisboa com 80% de investimento privado

Projecto foi apresentado nesta sexta-feira, prevendo a transferência do terminal de contentores para a Trafaria e a conclusão do terminal de cruzeiros em Santa Apolónia.

Porto de Lisboa afirma que parte das mercadorias podem ser reorientadas para Leixões, mas que a operação traz custos para as empresas
Foto
Balança comercial é positiva para Portugal em 1166 milhões de euros Nelson Garrido

O Governo vai lançar um plano para reestruturar o Porto de Lisboa, que prevê a criação de um novo terminal de contentores na Trafaria (Almada), retirando de Lisboa o movimento de mercadorias por via portuária e deixando apenas de fora do projecto o terminal de Alcântara.

O novo terminal, que tem um investimento estimado de cerca de 600 milhões de euros, será concessionado a privados, num concurso a preparar ao longo de 2013. Serão, aliás, estes investidores que suportarão 80% do investimento total estimado pelo Governo para o projecto apresentado nesta sexta-feira pelo ministro da Economia (1050 milhões de euros).

Está ainda por encontrar uma solução para o transporte das mercadorias que chegarem ao novo porto da Trafaria, prevendo-se que seja construída uma ligação ferroviária para o efeito até ao Poceirão. De acordo com o executivo, a Refer, gestora nacional da rede ferroviária, está ainda a estudar esta matéria.

Numa primeira fase, programada para cinco anos, o novo terminal de contentores terá capacidade para um milhão de TEU, sendo que cada TEU equivale a um contentor com 6,1 metros de comprimento. Mas prevê-se que possa alcançar os dois milhões. O plano de reestruturação inclui ainda conclusão do terminal de cruzeiros em Lisboa, que será igualmente concessionado, numa operação que será lançada em Abril de 2013, adiantou Álvaro Santos Pereira. A construção do terminal, instalado em Santa Apolónia, já deveria ter ficado concluída no início deste ano.

O executivo pretende ainda avançar com a concessão da Marina de Lisboa, como estava previsto desde 2010. A infra-estrutura irá localizar-se entre as docas de Pedrouços e do Bom Sucesso, estimando-se que esta seja a primeira operação a avançar, com o lançamento do concurso programado já para o próximo mês.

Na apresentação desta sexta-feira, o ministro da Economia referiu que a reestruturação do Porto de Lisboa é “um projecto estruturante para a economia nacional, que ajudará a crescer”. Álvaro Santos Pereira destacou a redução dos custos das exportações e a criação de emprego, tendo especificado que este plano criará, a longo prazo, cerca de 500 novos postos de trabalho.

Na cerimónia de apresentação estiveram ainda o ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, o ministro dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, o secretário de Estado do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, e o secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu.