Jafar Panahi deixa Berlim perplexo com Closed Curtain

O novo filme do cineasta iraniano, co-realizado com Kambozia Partovi, é recebido com aplausos e vaias.

Foto

Há dois anos, Jafar Panahi, impedido de rodar pelas autoridades iranianas, contrabandeou Isto Não É um Filme para fora do Irão dentro de um bolo. Closed Curtain, ao que se sabe, não exigiu medidas tão rocambolescas e teve um processo um pouco mais tradicional de pós-produção e saída do Irão.

Mas saiu, e Closed Curtain, co-dirigido com Kambozia Partovi, teve hoje estreia mundial a concurso no Festival de Berlim – com direito a aplausos perplexos e até algumas vaias.

Rodado em apenas três semanas, com uma equipa reduzida a quatro pessoas – Panahi, Partovi (que têm ambos papéis significativos à  frente da câmara), a actriz Maryam Mogharam e o director de fotografia Mohammed Reza Jahanpanah –  , Closed Curtain é um objecto ainda mais experimental do que Isto Não É um Filme, que interliga a ficção com a exposição da sua criação de modo opaco.

Na conferência de imprensa em que apresentou o filme, Partovi – amigo pessoal e profissional de Panahi há mais de 30 anos – explicou que Closed Curtain não é um filme “contra” o regime, mas sim um filme que nasceu das restrições impostas pelas circunstâncias, da depressão resultante da condenação e que questiona as próprias consequências dessas restrições. “Fui eu quem me fechou aqui dentro? Sou eu o intruso na minha vida? Fui eu que desencadeei isto sobre mim próprio? Pode ser um sonho, podem ser pensamentos, alucinações...”

Numa conferência de imprensa onde muito se questionou sobre as possíveis consequências que Closed Curtain pode ter sobre todos aqueles que nele participaram, Kambozia Partovi não pareceu particularmente preocupado. “Não sabemos onde é que isto irá levar, não somos capazes de prever o que irá acontecer a seguir.” E sim, é um filme muito diferente daquilo que as pessoas esperam –  “mas um dos nossos objectivos era experimentarmos algo de novo, desafiar-nos a nós próprios.” E, pelos vistos, também os espectadores.