Actor Gerard Depardieu muda-se para a Bélgica para fugir ao fisco

Taxa de 75% sobre os rendimentos dos mais ricos, criada por François Hollande, está a levar vários milionários franceses a mudarem-se para a Bélgica.

Depardieu vive agora a um quilómetro de França
Foto
Depardieu vive agora a um quilómetro de França PHILIPPE DESMAZES/AFP

O actor francês Gerard Depardieu decidiu mudar a sua residência fiscal para a Bélgica, onde pagará menos impostos, o que gerou uma onda de críticas. A decisão, também já tomada por milionários franceses, tem como objectivo escapar à taxa de 75% sobre o rendimento dos mais ricos criada pelo Governo de François Hollande.

Depardieu juntou-se, assim, a outros franceses com rendimentos superiores a um milhão de euros por ano que escolheram viver na localidade de Estaimpuis, um município belga na região da Valónia, a apenas um quilómetro da fronteira francesa e a 20 da cidade de Lille. Segundo a imprensa, estes cidadãos estrangeiros – como membros das famílias Meunier e Mulliez, proprietárias do Carrefour e do Auchan, ou Bernard Arnault, dono do grupo LVMH e o homem mais rico da França – já representam 27% da população da localidade belga.

A mudança de residência de Depardieu caiu mal em França. Há quem lamente a decisão e peça a harmonização dos impostos a nível europeu. Recorde-se que a taxa criada pelo Presidente François Hollande, anunciada durante a campanha eleitoral e que estará em vigor por dois anos, foi também criticada pela direita francesa como uma medida "simbólica" que gerará pouco encaixe para os cofres gauleses. Com a fuga dos mais ricos, esta crítica sobe de volume.

Já à esquerda, é Depardieu que fica debaixo de fogo. "Dá vergonha", disse Nathalie Artaud, da organização Luta Operária. "O pobrezinho possui vinhas, hotéis e fica incomodado de pagar um pouco de impostos", acrescentou. Além de cobrar cerca de dois milhões de euros de cachet por filme, Depardieu possui vários negócios e propriedades, uma vinha e um palacete no Vale do Loire, participações em várias adegas em França e noutros cinco países, três restaurantes em Paris, uma peixaria e uma produtora.

Mas não são só os franceses ricos que mudam de residência fiscal para escapar aos impostos. Segundo o El País, o arquitecto espanhol Santiago Calatrava transferiu a sua fortuna para a Suíça. No passado dia 23 de Novembro, a sociedade familiar Calatrava Family Investments passou a estar domiciliada no cantão de Zurique, deixando Madrid para trás.
 

Sugerir correcção