Relatório da quinta avaliação

FMI: Aumento da pobreza tem mais a ver com desemprego que com austeridade

Foto
Foto: Rui Gaudêncio

O aumento da pobreza em Portugal nos últimos anos está mais ligado ao desemprego que à austeridade, disse hoje o chefe de missão para Portugal do Fundo Monetário Internacional (FMI).

“A pobreza nos últimos anos é mais efeito do crescimento do desemprego que dos cortes na despesa e dos aumentos de impostos em si mesmos”, disse Abebe Selassie numa conferência de imprensa por telefone.

Selassie disse ainda que, durante a quinta revisão do memorando de entendimento, houve “muitas discussões” entre a ‘troika’ e o Governo para que os cortes fossem “o mais progressivos possível”.

“Tentámos seguir o conselho do Governo quanto às áreas onde se poderia cortar despesa sem sobrecarregar os mais pobres”, continuou o funcionário etíope do FMI.