Reunião com Wolfgang Schäuble em Berlim

Vítor Gaspar elogia “tolerância e maturidade” de manifestantes anti-troika

Gaspar recebeu elogios à forma como tem conduzido a pasta das Finanças
Foto
Gaspar recebeu elogios à forma como tem conduzido a pasta das Finanças Foto: Daniel Rocha

O ministro das Finanças elogiou esta quarta-feira a “tolerância e maturidade” dos manifestantes contra as medidas de austeridade e sublinhou que a troika sairá mais depressa de Portugal se o programa de ajustamento for concluído.

Quatro dias depois das manifestações que juntaram centenas de milhares nas ruas de dezenas de cidades portuguesas, Vítor Gaspar comentou a contestação, ao lado do seu homólogo alemão, Wolfgang Schäuble, com quem se reuniu hoje em Berlim.

“As manifestações foram muito grandes, com muita gente de diferentes origens sociais e políticas que quer que a sua voz seja ouvida, houve muita contenção e dignidade, e tínhamos a certeza de que não haveria incidentes”, observou numa conferência de imprensa.

O ministro defendeu que para terminar a intervenção externa da Comissão Europeia, BCE e FMI, “a única hipótese é concluir com sucesso o processo de ajustamento, para não ser necessário mais tempo”. Tudo o resto, advertiu, “só fará a troika ter de ficar mais tempo em Portugal”. Uma posição que foi reforçada num comunicado emitido em conjunto com Wolfgang Schäuble, reafirmando que o plano de ajustamento, apesar de doloroso, está a dar resultado.

Vítor Gaspar manifestou-se ainda confiante de que Portugal não precisará de um segundo programa de ajustamento e de mais um empréstimo dos parceiros internacionais. E insistiu que Portugal tem como horizonte voltar a financiar-se em condições normais nos mercados financeiros após a conclusão do actual programa. Sublinhou, no entanto, que o regresso aos mercados “é um processo gradual, que já foi iniciado. Quando o actual programa expirar, em 2014, estaremos em condições de nos autofinanciarmos, o que exigirá, no entanto, grandes esforços”.

À parte das críticas internas à medida de desvalorização fiscal, Gaspar recebeu em Berlim elogios à forma como tem conduzido a pasta das Finanças. Schäuble enalteceu as qualidades profissionais de Gaspar e o prestígio de que goza junto dos seus colegas do Eurogrupo (fórum de ministros das Finanças da zona euro).

Para de Wolfgang Schäuble, Vítor Gaspar é “o homem certo no lugar certo e no momento certo”. “Há sempre muitas expectativas a que não conseguimos corresponder, e muita especulação que se devia evitar, e Vítor Gaspar é um dos que nunca gera confusão nos mercados e sabe que só há um caminho para o sucesso”. Schäuble disse ainda que “é preciso respeitar os sacrifícios” das pessoas nos países sob resgate, desejou “muito sucesso” a Vítor Gaspar e garantiu que Portugal “pode confiar no apoio duradouro da Alemanha”.

Na sua exposição inicial, Vítor Gaspar utilizou vários gráficos que espelham o agravamento da dívida e do défice portugueses, concluindo que para estabilizar o euro “é necessária uma política orçamental prudente e um crescimento verdadeiramente sustentável”.