DR
Foto
DR

Sofia Escobar, a portuguesa que encantou o West End de Londres

A cantora e actriz portuguesa interpreta a protagonista Christine no musical "O Fantasma da Ópera", em Londres. Os críticos do West End de Londres renderam-se à sua voz

Queria ser actriz e cantora. Sofia Escobar partiu de Guimarães para Londres com o sonho de ir estudar numa das escolas mais prestigiadas da capital britânica: a Guildhall School of Music and Drama. Sete anos depois, a sua carreira conta já com um prémio de Melhor Actriz de Teatro Musical em Inglaterra e uma nomeação para um Laurence Olivier.

Actualmente, Sofia Escobar interpreta a protagonista Christine Daaé no musical "O Fantasma da Ópera", cuja produção londrina comemora em 2012 o seu 25.º aniversário. O P3 falou com a artista de 30 anos sobre este percurso que, apesar de parecer um conto de fadas, segundo Sofia não foi nada fácil.

Como é a vida da personagem principal do musical "O Fantasma da Ópera"?

A minha vida exige muita disciplina, os meus dias quer tenha espectáculo ou não são sempre povoados de cuidados para me manter a 100% a todos os níveis. Faço uma alimentação equilibrada, faço yoga e tenho regularmente aulas de canto e de representação. Nos meus tempos livres adoro descobrir Londres, museus, concertos, cinema, enfim as coisas normais. Mas claro que a minha vida profissional não me permite sair à noite nem certos vícios como fumar ou beber bebidas alcoólicas [para não danificar a voz] — mas, sinceramente, tambem não fazem falta.

Estás em Londres há sete anos. Os críticos do West End de Londres renderam-se à tua voz com as representações de Maria em "West Side Story" e de Christine em "O Fantasma da Ópera". Como é que interpretas a sua ascensão em Londres?

Para mim foi uma enorme surpresa a forma como tudo se passou, mas a verdade é que lutei muito por isso, arrisquei muito e nunca desisti. Nada se consegue sem muita dedicação e também alguma sorte.

PÚBLICO -
Foto
DR

Como é que tens acompanhado a situação económica de Portugal? Pensas em voltar?

PÚBLICO -
Foto
DR

Voltar a Portugal nunca está fora dos meus planos, adoro o meu país e as saudades são muitas. Acompanho a situação de Portugal com tristeza mas com a certeza de que as coisas vão melhorar.

O que é que se segue depois de "O Fantasma da Ópera"?

Os sonhos continuam, outros musicais, gostava de gravar um CD, de investir mais na televisão e no cinema, quem sabe o que o futuro reserva.

Que conselho dás àqueles que estão a tentar ter sucesso na indústria do espectáculo?

Acima de tudo investir na formação, por muito talento que se tenha é necessário muito trabalho para se ser cada vez melhor e estar completamente preparado para entrar no mercado de trabalho. A competição é sempre muita mas é preciso nunca desistir.