Apresentada esta sexta-feira na Casa da Cerca, a 34.ª edição do Festival de Almada faz-se de nomes como Pippo Delbono, Christoph Marthaler, Peeping Tom, Raoul Collectif e uma extensa presença portuguesa. Mas também do lamento pelo papel do Estado na sua situação actual.

  • Apresentada esta sexta-feira na Casa da Cerca, a 34.ª edição do Festival de Almada faz-se de nomes como Pippo Delbono, Christoph Marthaler, Peeping Tom, Raoul Collectif e uma extensa presença portuguesa. Mas também do lamento pelo papel do Estado na sua situação actual.

  • A Mala Voadora junta-se ao maestro Pedro Amaral e à Orquestra Gulbenkian para criar uma relação entre teatro e ópera. Beaumarchais diverte-se a desmanchar em palco a trilogia de Fígaro.

  • A encenadora Marta Dias e a escritora Alice Vieira encontraram-se “demasiado tarde”, mas não tarde de mais. No tempo certo para que a vida e os poemas da escritora dessem origem à peça que estará no Teatro Aberto, em Lisboa, até 30 de Julho.

  • De 14 a 23 de Setembro, o Festival Materiais Diversos despede-se da sua vida anual com espectáculos de Alessandro Sciarroni, e Ana Borralho e João Galante. Daqui para a frente, a presença no território será mais intensa ao longo de todo o ano. E a partir da décima edição, em 2019, torna-se bienal.

  • Derivas: Coimbra passa pelo centro de uma cidade desconhecida. Até domingo, o espectáculo-percurso da Circolando vai da Baixa à Alta para ocupar os espaços vazios.

  • Dear Evan Hansen e Oslo foram os grandes premiados. Kevin Spacey falhou como apresentador da cerimónia dos prémios da Broadway.

  • Festival de Verão de Nova Iorque leva ao palco Júlio César, de Shakespeare, numa encenação em que o ditador romano que acaba assassinado no chão do senado é muito parecido com o Presidente norte-americano. Será que Trump também tem uma banheira dourada?

  • Filhos do Retorno coloca em palco cinco actores que partilham e lidam com as histórias familiares das ex-colónias portuguesas. Joana Craveiro e o Teatro do Vestido estreiam no FITEI mais uma reflexão conjunto sobre a transmissão da memória de acontecimentos fundamentais da História recente.